JORNALISMO

Abraji integra campanha de conscientização sobre notícias falsas no Facebook

abraji-conscientização-notícias falsas - Facebook
(Imagem: Facebook)

Um post lançado no Facebook em 6 abril e fixado no topo do feed de notícias nos últimos dias convida os usuários a identificarem notícias falsas que podem surgir na rede. A medida faz parte de série de ações da empresa para evitar a disseminação de inverdades na plataforma e está disponível para usuários em 14 países. No Brasil, o trabalho contou com o apoio do Instituto de Tecnologia & Sociedade do Rio, da Universidade Presbiteriana Mackenzie e da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

Com o nome “Dicas para identificar notícias falsas”, o post apresenta 10 tópicos que podem ajudar o usuário a verificar boatos e ler notícias de maneira mais crítica. Entre as principais orientações, o Facebook recomenda conferir a data de publicação do texto, analisar o veículo que o publicou, buscar outras reportagens que tratem do assunto e ser cético com as manchetes.

A líder de parcerias de mídia do Facebook para a América Latina, Cláudia Gurfinkel, ressalta a importância da iniciativa. “Embora as notícias falsas não sejam apenas um problema do Facebook, queremos ter a certeza de que estamos fazendo a nossa parte para conter a disseminação desse tipo de conteúdo em nossa plataforma”, afirma. “O desenvolvimento de novos produtos para impedir a propagação dessas notícias e melhorar a diversidade da informação é mais um passo em direção ao combate à desinformação, dentro e fora do Facebook.”

A ferramenta faz parte de série de iniciativas que têm surgido desde o ano passado, quando a plataforma foi alvo de questionamentos a respeito de seu desempenho nas eleições presidenciais americanas. Na época, diversas notícias falsas sobre os presidenciáveis foram compartilhadas na rede.

Além da ferramenta, o Facebook tem desenvolvido outras formas de ajudar as pessoas a tomarem melhores decisões em relação ao conteúdo que leem na internet. Na terça-feira, 25 de abril, por exemplo, a plataforma anunciou teste que altera a posição em que os artigos relacionados aparecem no feed. Se anteriormente eles surgiam após a leitura das publicações, agora as recomendações de textos de diferentes veículos de comunicação aparecem antes. A ideia é incentivar o conhecimento e o debate de assuntos que estão sendo comentados por muitas pessoas.

Outro projeto que a plataforma divulgou recentemente é a News Integrity Initiative, consórcio global que pretende ajudar as pessoas a julgarem melhor as notícias que leem e compartilham online. A iniciativa conta com a colaboração de organizações como a Fundação Ford e pretende financiar pesquisas, projetos e encontros relacionados ao jornalismo.

Confira abaixo a íntegra das dicas do Facebook para identificar notícias falsas na rede.

Dicas para identificar notícias falsas:

  1. Seja cético com as manchetes. Notícias falsas frequentemente trazem manchetes apelativas em letras maiúsculas e com pontos de exclamação. Se alegações chocantes na manchete parecerem inacreditáveis, desconfie.
  2. Olhe atentamente para a URL. Uma URL semelhante à de outro site pode ser sinal de alerta para notícias falsas. Muitos sites de notícias falsas imitam veículos de imprensa autênticos fazendo pequenas mudanças na URL. Você pode ir até o site para verificar e comparar a URL de veículos de imprensa estabelecidos.
  3. Investigue a fonte. Certifique-se de que a reportagem tenha sido escrita por fonte confiável e de boa reputação. Se a história for contada por uma organização não conhecida, verifique a seção “Sobre” do site para saber mais sobre ela.
  4. Fique atento a formatações incomuns. Muitos sites de notícias falsas contêm erros ortográficos ou apresentam layouts estranhos. Redobre a atenção na leitura se perceber esses sinais.
  5. Considere as fotos. Notícias falsas frequentemente contêm imagens ou vídeos manipulados. Algumas vezes, a foto pode ser autêntica, mas ter sido retirada do contexto. Você pode procurar a foto ou imagem para verificar de onde ela veio.
  6. Confira as datas. Notícias falsas podem conter datas que não fazem sentido ou até mesmo datas que tenham sido alteradas.
  7. Verifique as evidências. Verifique as fontes do autor da reportagem para confirmar que são confiáveis. Falta de evidências sobre os fatos ou menção a especialistas desconhecidos pode ser indicação de notícias falsas.
  8. Busque outras reportagens. Se nenhum outro veículo na imprensa tiver publicado reportagem sobre o mesmo assunto, isso pode ser indicativo de que a história é falsa. Se a história for publicada por vários veículos confiáveis na imprensa, é mais provável que seja verdadeira.
  9. A história é uma farsa ou uma brincadeira? Algumas vezes, as notícias falsas podem ser difíceis de distinguir de conteúdo de humor ou sátira. Verifique se a fonte é conhecida por paródias e se os detalhes da história e o tom sugerem que pode ser apenas uma brincadeira.
  10. Algumas histórias são intencionalmente falsas. Pense de forma crítica sobre as histórias lidas e compartilhe apenas as notícias que você sabe que são verossímeis.

SOBRE O AUTOR

Abraji

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. Criada em 2002 por um grupo de jornalistas brasileiros interessados em trocar experiências, informações e dicas sobre reportagem, principalmente sobre reportagens investigativas. É mantida pelos próprios jornalistas e não tem fins lucrativos.

COMENTAR

COMENTAR

Notícias Corporativas

  • SUATV - TV Corporativa, Mural Digital e Digital Signage é SuaTV
  • RIWEB
  • Dino