JORNALISMO

Com apoio de sindicato, funcionários da Tupi aprovam greve por tempo indeterminado

Se o comando do grupo Diários Associados não tomar nenhuma providência ao decorrer dos próximos dias, os funcionários da Super Rádio Tupi vão paralisar as atividades por tempo indeterminado, conforme informa o site Rádio de Verdade na noite desta terça-feira, 27. Em assembleia realizada na tarde de hoje no bairro carioca de São Cristóvão, os colaboradores da emissora decidiram aprovar estado de greve, que deve ser iniciada na sexta-feira, 30. O ato contou com apoio do sindicato dos radialistas do Rio de Janeiro.

Na véspera da reunião em que a nova paralisação foi definida, a diretoria do sindicato usou a página que mantém no Facebook para cobrar que os salários dos profissionais da Tupi sejam pagos em dia. Conforme noticiado pela reportagem do Portal Comunique-se em 8 de dezembro, os funcionários da emissora radiofônica já tinham paralisado as atividades durante 24 horas, tendo como motivação os atrasos dos vencimentos durante os últimos 18 meses. Sem acordo ou expectativa de resolução do caso, nova paralisação foi feita – de 72 horas – na última semana.

Responsável por intermediar a situação entre funcionários e a direção da empresa, o sindicato dos radialistas acredita que a venda da emissora pode ser a solução. Para a entidade, a negociação do veículo faria com que ao menos os diversos salários atrasados e outros direitos trabalhistas fossem devidamente pagos. “Queremos pagas as indenizações e multas já vencidos na justiça, queremos os décimos terceiros, tudo que está faltando!”, avisou. “Eles dizem que vão dar, que é só vender a rádio, então cadê? #VendeLogo! O choro não cola mais”, prosseguiu o sindicato, sugerindo que os administradores têm reclamado sem motivo.

Em meio à crise, o empresário Mauricio Dinepi renunciou ao posto de presidente dos Diários Associados no Rio de Janeiro na última semana. No cargo desde 2003, ele assinou comunicado agradecendo a equipe pelo empenho de “manter a rádio em atividade”. No texto, também divulgado primeiramente pelo Rádio de Verdade, o executivo afirma que a saída foi motivada por “motivos pessoais e temporais”. Sem fazer menção à situação financeira da Tupi, ele ainda pontuou que em sua gestão a emissora se tornou campeã de audiência.

No dia de Natal, em posicionamento oficial, o sindicato reclamou que Dinepi abriu mão da presidência da empresa sem iniciar o processo de venda que teria sido reivindicado pelos funcionários. A entidade, contudo, demonstrou que as ações feitas ultimamente pelos trabalhadores têm começado a surtir efeito. “As duas paralisações da Tupi foram suficientes para mobilizar alguns sócios minoritários da empresa que se interessaram por comprar as ações majoritárias com o compromisso e as condições financeiras de pagar todos os atrasados e levantar a rádio!”, pontuou.

Mais uma vez, a direção da Super Rádio Tupi não comentou a situação enfrentada pela emissora desde o início de dezembro.

SOBRE O AUTOR

Anderson Scardoelli

Jornalista, 27 anos. Formado pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e pós-graduado em "Jornalismo Digital" pela ESPM. Há oito anos no Grupo Comunique-se, onde idealizou os projetos 'Correspondente Universitário', 'Leitor-Articulista' e 'C-SE Acadêmico'. Na empresa, já atuou como freelancer (inserção de conteúdo), estagiário de pesquisa, estagiário de redação, trainee de redação, subeditor e editor-júnior. É, desde maio de 2016, o editor-pleno responsável pelo Portal Comunique-se e pelo conteúdo do Prêmio Comunique-se.

COMENTAR

COMENTAR

Notícias Corporativas

  • SUATV - TV Corporativa, Mural Digital e Digital Signage é SuaTV
  • RIWEB
  • Dino