JORNALISMO

Empresa aposta em franquias para levar jornal gratuito a cidades brasileiras

jornal gratuito

A Rede Bem Estar expandiu atuação para distribuir gratuitamente o Jornal Nosso Bem Estar. Desde setembro de 2016, São Paulo passou a fazer parte da rede de abastecimento do jornal gratuito, seguido por Campo Grande (MS), em outubro, e da região carbonífera do Rio Grande do Sul, em dezembro. Em janeiro, foi a vez do litoral gaúcho receber o jornal, chegando assim a 14 edições regionalizadas circulando pelo país.

De acordo com os idealizadores do projeto, os custos de produção e impressão do jornal são pagos pelos anunciantes. Para fazer parte da rede, cada parceiro paga mensalidade fixa e em troca recebe todo o conteúdo pronto, redigido, revisado e diagramado. O “franqueado” fica responsável pela distribuição dos exemplares do seu jornal que podem variar entre 5 mil a 20 mil jornais, dependendo da área de abrangência.

São distribuídos, todos os meses, 150 mil exemplares em pontos comerciais de mais de 30 municípios brasileiros. Comandada pelos gaúchos Érico Vieira e Max Bof, a sede da rede, em Porto Alegre, é responsável por produzir conteúdos exclusivos para o site e também para o jornal impresso, que já ultrapassou a marca 150 edições.

“Hoje o conteúdo que produzimos é lido por 500 mil pessoas, em média. Investimos desde o início em matérias que fossem capazes de trazer mais qualidade de vida, saúde e crescimento pessoal. Esse mercado cresceu muito nos últimos anos, por isso, nada melhor do que levar o jornal para que outras pessoas, de outras cidades, se beneficiem desse conteúdo e ao se tornarem parceiros da rede, ainda possam melhorar sua renda”, afirmou Vieira.

Segundo os responsáveis pelo veículo, as marcas anunciantes também impactam 82% dos leitores que são provenientes das classes A e B. Todos os materiais para captar anunciantes, como mídia kits e tabelas de preços também são fornecidas pela sede do jornal.

“Damos todo o suporte para que os nossos parceiros trabalhem em suas regiões sem precisar se preocupar em produzir conteúdo, ou manter equipe muito grande de funcionários. Dessa maneira, qualquer um pode ser dono do jornal em sua cidade”, acrescenta Bof.

Investimento em tecnologia

O jornal gratuito é impresso em cores, no mesmo parque gráfico onde hoje é produzido o jornal Zero Hora, do Grupo RBS. Cada parceiro da rede responsável pelo veículo, após negociar os espaços publicitários disponíveis e fechar sua edição local, imprime seu jornal. Há, ainda, a possibilidade de fazer essa montagem final na sede do grupo, onde existe equipe responsável por diagramar a arte dos anúncios, que podem ser alteradas conforme a necessidade e cronograma dos parceiros.

“Esse modelo de parcerias tem dado muito certo. Vemos cada vez mais pessoas interessadas, pois não é necessário ter experiência no ramo editorial. Aqueles que aparecem querendo fazer parte da nossa rede tem nos ajudado a disseminar o bem e ainda conseguem lucrar negociando espaços do jornal em sua região. Temos conseguido fazer circular nosso jornal em mais de 4,5 mil pontos comerciais todos os meses, sem que haja qualquer encalhe. Isso mostra que é possível produzir conteúdo voltado para o grande público e compartilha-lo em qualquer região do país”, declarou Vieira.

Notícias Corporativas

VOTAÇÃO PREMIO COMUNIQUE-SE 2017