JORNALISMO

Não faça isso! Evite erros no fotojornalismo

nao-faca-isso-evite-erros-no-fotojornalismo
Desafio para fotojornalistas vai além da escolha de bom equipamento (Imagem: Heuler Andrey)

Mais que mil palavras. A fotografia tem papel claro e bem definido no jornalismo: transmitir informações. Para garantir que a mensagem seja corretamente interpretada, cabe ao repórter fotográfico alguns cuidados. “Não acredite que o bom resultado depende apenas de você”. O conselho é da analista de imagens da revista Quem, da Editora Globo, Anna Paula Ali.

Para o jornalista e repórter fotográfico independente Joaquim Eduardo Madruga, conhecido como Joka, o profissional precisa estar sempre bem informado e investir na leitura. Ele destaca o livro Clube do Bangue-Bangue. “A história fala sobre quatro fotógrafos que atuavam na África do Sul entre 1990 e 1994, durante o Apartheid, e mostra um pouco como eles agiam. É bem interessante”.

Aqui vão algumas dicas simples que podem ser usadas por pessoas que se interessem pelo ramo e queiram aperfeiçoar os cliques.

Não esqueça de ajustar a câmera

“Muitas vezes, o profissional sai de um evento e vai direto para outro. Mesmo com o tempo corrido, não pode esquecer de ajustar a câmera de acordo com a luz do ambiente”, indica Joka.

Não retire a placa de memória antes de terminar a transmissão

Anna dá destaque ao cuidado que é preciso ter com o equipamento. “As imagens podem ser danificadas ou perdidas quando a placa é retirada antes do tempo”.

Não fique parado

Procure circular pelo ambiente para garantir outras perspectivas. “Tire fotos de vários ângulos. Aproveite todo o espaço”, orienta Joka.

Não tire foto de baixo para cima

Cuidado com a posição. De acordo com Anna, as imagens tiradas de baixo para cima ficam deformadas.

Não fique só apertando o botão

Evite disparar a todo o momento e observe o que está acontecendo antes de fazer o clique. “Você tem que parar e pensar: O que quero mostrar com essa foto ?”, diz Joka.

Não banalize seu trabalho

Com as redes sociais, muitas pessoas postam fotos o tempo todo. Para Joka, o excesso de compartilhamentos pode contribuir para a banalização do trabalho. “É preciso saber dosar a quantidade de posts, pois acaba desvalorizando a profissão”.

Não deixe de economizar

Para Joka, é preciso considerar os gastos com lentes e flashes como investimento. “Separo 20% da renda de todo trabalho que faço e coloco na poupança para renovar meu material”.

Notícias Corporativas

VOTAÇÃO PREMIO COMUNIQUE-SE 2017