JORNALISMO

Extra veicula jornal com manchetes escritas por crianças vítimas da violência no RJ

extra-manchetes-crianças vítimas da violência
(Imagem: Reprodução/Extra)

O jornal Extra iniciou campanha no domingo, 4, veiculando jornais com manchetes escritas por crianças vítimas da violência no Rio de Janeiro. A ação começou após o jornal pedir que alunos da Escola Municipal Walt Disney, localizada no Complexo do Alemão, escrevessem cartas sobre o tema “paz”, e obter como resultados desenhos e frases relacionadas ao tema oposto, a violência.

A primeira manchete veiculada pelo impresso diz: “Para de atirar na gente”, escrita por criança de 7 anos. De acordo com o jornal, a iniciativa foi colocada em curso para chamar a atenção da sociedade e de autoridades para os inúmeros casos de violência no dia a dia da população local.

“Escolas sem aulas por causa de violência viraram rotina no Rio. As notícias não chamam mais a atenção como deveriam. A insensibilidade de uma parcela das autoridades e da própria sociedade levou o Extra a abrir espaço para as vítimas indefesas e sem voz desta estupidez: crianças e jovens. A partir desta edição, as manchetes sobre o tema serão escritas pelos alunos. A de hoje é de um estudante de 7 anos de uma escola do Alemão. Precisa desenhar?”, informou o veículo ao iniciar a campanha.

Na edição desta segunda-feira, 5, o Extra informou em destaque que, neste ano letivo, somente em sete dias todas as unidades de ensino funcionaram normalmente no Rio, sem registros de tiroteios por perto. “Não quero tiro. Quero paz” diz a manchete escrita por um estudante de 6 anos, da mesma escola do Alemão. As capas veiculadas pela ação podem ser conferidas por meio das redes sociais do jornal Extra.

Em reportagem de lançamento da iniciativa, o jornal mostrou as histórias de algumas das crianças que participaram do projeto. “Eu quero paz na cidade do Rio” e “Eu não quero dar tiro, quero brincar”, são algumas outras frases escritas pelas crianças, que aparecem em destaque na reportagem.

extra-manchetes-crianças vítimas da violência 01
(Imagem: Reprodução/Extra)

Notícias Corporativas

VOTAÇÃO PREMIO COMUNIQUE-SE 2017