JORNALISMO

Fim da versão impressa da Gazeta do Povo provoca mais de 60 demissões

gazeta do povo ultima edicao1
Última capa impressa da Gazeta do Povo, que circulou na quarta-feira, 31 de maio (Imagem: Reprodução)

A última edição impressa da Gazeta do Povo circulou nesta semana, mais precisamente na quarta-feira, 31 de maio. O encerramento do uso do papel no veículo marcou o início de uma aposta pesada no digital e representou mais de 60 funcionários demitidos, incluindo profissionais da redação. A reportagem do Portal Comunique-se acompanha o momento de transição da marca desde o anúncio oficial feito no início de abril e, agora, traz entrevista com o presidente-executivo do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom), Guilherme Döring Cunha Pereira, que comenta os desligamentos.

gazeta do povo presidente guilherme pereira
Guilherme Döring Cunha Pereira, presidente do Grupo Paranaense de Comunicação, empresa que controla o jornal Gazeta do Povo (Imagem: Rubens Nemitz Jr.)

O executivo alega que, no total, foram 62 demissões. Do montante, explica Pereira, cerca de 40 pessoas trabalhavam no parque gráfico, que foi encerrado. Com a mudança, os projetos em papel do grupo – como o jornal Tribuna, o especial semanal e as revistas mensais – serão impressos por gráficas terceirizadas. Com relação aos cortes na redação, 10 profissionais foram desligados, sendo três fotógrafos, três jornalistas, dois diagramadores, um infografista e um chargista. Pereira afirma que reduzir a equipe de conteúdo não faz parte da estratégia do grupo.

“Nós não queremos diminuir o quadro de jornalistas. Algumas mudanças aconteceram e os cortes estão ligados às funções que eram exclusivas do impresso, como por exemplo, o desligamento de dois editores que fechavam o jornal. Os cargos foram extintos, por isso a demissão. No acumulado, o número de jornalistas aumentou, ainda que alguns desligamentos tenham acontecido”, argumentou o executivo.

Neste sentido, ainda aconteceram cortes de paginadores, técnicos de imagem e colaboradores ligados às operações comerciais – equipe responsável por diagramar e incluir os anúncios nas páginas do impresso. “Não pretendemos demitir outras pessoas. Estamos satisfeitos com a mudança que aconteceu na Gazeta do Povo em função da descontinuidade do impresso e vamos manter o nosso quadro de funcionários, que é sólido”.

Entenda o que aconteceu na Gazeta do Povo

No início de abril, a presidência da Gazeta do Povo realizou evento para anunciar que o impresso seria encerrado em 31 de maio e quais seriam os novos projetos da marca. Durante o evento, o veículo afirmou que iria focar no jornalismo digital, com conceito de mobile first. A alteração fez com que o Grupo Paranaense de Comunicação investisse cerca de R$ 23 milhões no projeto.

A reportagem do Portal Comunique-se deu detalhes sobre a movimentação nas reportagens abaixo. Veja:

Gazeta do Povo encerra versão impressa diária e investe mais de R$ 20 milhões em jornalismo digital

Com Ricardo Amorim e Rodrigo Constantino, Gazeta do Povo implementa novo conceito de âncoras

Gazeta do Povo reforça alcance nacional e integração com redes sociais

SOBRE O AUTOR

Foto de perfil de Nathália Carvalho

Nathália Carvalho

Jornalista com oito anos de experiência em reportagem. Especializada na cobertura do mercado de comunicação, bastidores do jornalismo, marketing, publicidade e propaganda. Graduada pela Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação e pós-graduada em Cinema, Vídeo e Fotografia: Criação em Multimeios na Universidade Anhembi Morumbi.

COMENTAR

COMENTAR

Notícias Corporativas

  • SUATV - TV Corporativa, Mural Digital e Digital Signage é SuaTV
  • RIWEB
  • Dino