OPINIÃO

A morte de Paulo Nogueira e o desrespeito a jornalistas experientes

paulo nogueira - sidney rezende - vídeo
Jornalista Paulo Nogueira morreu na quinta-feira, 29 (Imagem: Reprodução/DCM)

A morte do jornalista Paulo Nogueira, 61 anos, do Diário do Centro do Mundo (DCM), vítima de um câncer severo; a decisão de Mino Carta, 83 anos, da Carta Capital, em não mais escrever editoriais em sua revista; e o afastamento definitivo por decisão da EBC de profissionais da qualidade de Luis Nassif, Albino Castro, Tereza Cruvinel, Paulo Moreira Leite e Emir Sader são provas do empobrecimento do jornalismo brasileiro e atraso do país. Perdemos todos. O pluralismo é a melhor ferramenta para se alcançar a isenção que tanto precisamos.

Neste vídeo, eu convido você a não aceitar esta política de ódio que tenta calar vozes de todas as linhagens ideológicas. De Jânio de Freitas, de 85 anos, a Reinaldo Azevedo, de 55. O contraditório é a base da reflexão democrática.

*Por Sidney Rezende. Jornalista, fundador e diretor do SRZD, site onde este conteúdo foi publicado originalmente.

SOBRE O AUTOR

Leitor-Articulista

Espaço aberto para a veiculação de artigos produzidos pelos usuários do Portal Comunique-se. Para ter seu conteúdo avaliado pela redação, com possibilidade de ser publicado na seção 'Opinião', envie e-mail para jornalismo@comunique-se.com.br, com “Leitor-articulista” no assunto.

COMENTAR

COMENTAR

Notícias Corporativas

  • SUATV - TV Corporativa, Mural Digital e Digital Signage é SuaTV
  • RIWEB
  • Dino