JORNALISMO

O Globo e Extra criam grupos de combate a notícias falsas

O Globo e o jornal Extra acabam de criar grupos para checar e combater disseminação de notícias falsas. Comandados pelos jornalistas Fábio Vasconcellos e Octavio Guedes, respectivamente, os times vão oferecer aos leitores condições para que eles tomem decisões confortáveis baseadas em informações verdadeiras.

No jornal O Globo, o projeto de checagem de fatos se chama ‘É isso mesmo?”. Trata-se de um blog onde as informações checadas serão publicadas. Ao acessar a página, é possível ver que a equipe esclareceu se a Europa é realmente o maior alvo de ataques terrorista no mundo. Com a liderança de Vasconcellos, a equipe que cuida da apuração das informações tem sete profissionais.

“Queremos ajudar o consumidor, com os nossos produtos, a tomar decisões corretas na sua vida, informando o que é falso ou verdadeiro. Isso é imprescindível, porque quando o leitor toma uma decisão sobre o que comer, o que vestir, onde investir o dinheiro, a escolha da escola para os filhos, se ele estiver bem informado, ele vai tomar decisões com mais conforto e com mais chance de acertar”, comentou o diretor de redação d’O Globo, Ascânio Seleme.

No Extra, a página que divulga as informações checadas se chama “#Éverdade ou #Éboato“. Em 2010, algo parecido havia sido criado no impresso por sugestão do o editor Fabio Gusmão, que montou um time que, durante cinco dias, trabalhou 24 horas informando o que era verdade e o que era boato sobre os ataques de traficantes a civis. “Foi uma vacina contra as mentiras virais. A diferença de 2010 para hoje é que as crises provocadas por falsas notícias deixaram de ser pontuais para virarem permanentes”, comentou Guedes.

O projeto do Extra já desmascarou boatos divulgados pelo WhatsApp sobre a vacina contra a febre amarela e a falsa notícia de que o pagamento do salário da segurança no Rio de Janeiro seria bloqueado. A informação foi desmentida pela secretaria de fazenda.

Notícias Corporativas

VOTAÇÃO PREMIO COMUNIQUE-SE 2017