MARKETING & PROPAGANDA

RBS SC debate desafios de marcas e anunciantes no ambiente digital

RBS SC - desafios - marcas - anunciantes - ambiente digital
(Imagem: José Luiz Somensi/Divulgação)

A RBS SC promoveu, na quarta-feira, 24, painel para profissionais de comunicação de todo o estado, com objetivo de debater os desafios de marcas e anunciantes no ambiente digital, além de discutir os riscos da associação de marcas a conteúdos sem verificação. O evento Brand Safety em Foco foi realizado em Santa Catarina pelos jornais Diário Catarinense, Hora de Santa Catarina, A Notícia e Jornal de Santa Catarina.

Ao recepcionar os participantes, o diretor de negócios da RBS SC, Delton Batista, destacou que “diante do excesso de informações que recebemos hoje, temos sido impactados por notícias que, se não aprofundadas para além das manchetes ou na verificação de fontes, podem levar a interpretações enganosas da realidade. O mundo todo tem discutido esta temática e não poderia ser diferente na nossa empresa e no nosso Estado”.

De acordo com o executivo, os jornais da RBS SC estão em fase final de validação de certificação do Instituto Verificador de Comunicação (IVC), o selo Quality Certifier, que torna premium publishers os seus veículos impressos e online, com audiência verificada pela instituição.

Amplitude do fake news

Presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e do Fórum Mundial de Editores (WEF), Marcelo Rech foi um dos destaques no evento. Ao expor suas ideias, o executivo explicou que a internet ampliou as possibilidades de publicação de conteúdo e representou o rompimento de paradigma em que a comunicação era unidirecional. Ele avalia que o cenário passa a ser problemático na medida em notícias falsas se difundem com agilidade e amplitude, no embalo de algoritmos desenvolvidos para fortalecer não a verdade, mas opiniões pré-concebidas dos usuários.

Rech mostrou exemplos de momentos históricos em que fake news alcançaram ampla repercussão, como durante a Primavera Árabe e na eleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O executivo também abordou conceitos como o de pós-verdade, que mobiliza debates em diversos países desde o último ano, e ressaltou que a difusão de notícias falsas não é problema apenas para o mercado de comunicação, mas para a sociedade como um todo, pois representa reais ameaças à democracia e às relações diplomáticas.

Fake news para o mercado publicitário

Na sequência, o presidente do IVC, Pedro Martins da Silva, falou sobre as implicações fake news para o mercado publicitário. Ele reforçou a importância de buscar veículos de comunicação com certificação na hora de anunciar produtos e serviços.

O IVC, por exemplo, realiza avaliação em diversas frentes, como a verificação da quantidade de acessos, a qualidade do tráfego e a análise de procedimentos de um site ao identificar ação inválida, como cliques gerados por robôs.

Após as falas de Rech e Silva, foi realizado debate com mediação do gerente-executivo de jornais da RBS SC, George Fortunato. Participou também da discussão o presidente do Sindicato das Agências de Propaganda de Santa Catarina (Sinapro/SC), Pedro Cherem. O público teve a oportunidade participar, enviando perguntas a partir das quais foram tratados temas como os hábitos de consumo de informação em mídias sociais, o reconhecimento da mídia profissional e práticas indesejadas como o uso de bloqueadores de anúncios.

Notícias Corporativas

VOTAÇÃO PREMIO COMUNIQUE-SE 2017