ESPECIAIS JORNALISMO TEC & REDES

“Usina da notícia”: Canal Rural foca em conteúdo multiplataforma

Donário Lopes de Almeida, o presidente do Canal Rural (Imagem: Divulgação)

Nesta sexta-feira, 11, o Canal Rural completa duas décadas no ar. Apesar do nome, que remete à frequência na TV, o veículo de comunicação busca ir além do espaço televisivo. Ao decorrer de seus 20 anos, a emissora deixou de ser uma empresa de mídia local no Rio Grande do Sul para se tornar ambiente que tem por objetivo principal se comunicar com o produtor rural de todo o Brasil. Para isso, a tevê é apenas mais uma plataforma para fazer circular conteúdo de interesse do homem do campo, assim como o site e os perfis em redes sociais. Desse modo, o canal funciona como uma “usina da notícia” multiplataforma, investindo em jornalismo, estrutura e novas tecnologias.

Quem explica o conceito de “usina da notícia” é o presidente do Canal Rural, Donário Lopes de Almeida, que está na empresa desde dezembro de 2006. Responsável por liderar a unificação das equipes de TV e online em 2014, ele conta que o conteúdo foi, é e sempre será “o rei” para o projeto que comemora seu 20º aniversário nesta semana. Fortalecendo o propósito de produzir informação além da televisão, o jornalista-gestor destaca que os recursos utilizados – principalmente após a integração dos times que, juntos, contam com cerca de 50 jornalistas – fazem com que o site da emissora conte em média com mais de 1 milhão de pageviews e a fan page ultrapasse a barreira das 700 mil curtidas.

Em contato com a reportagem do Portal Comunique-se, Donário crava que o jornalismo é “fundamental” para a existência do Canal Rural, já que o produtor e as pessoas envolvidas na cadeia da agricultura demandam por “informação especializada”. O executivo argumenta que o perfil do público-alvo sempre moldou todo o conteúdo produzido, fazendo com que a emissora focasse cada vez mais em notícias das áreas de economia e política. “O agronegócio depende da situação econômica, de quais produtos estão em alta ou em baixa, e também está ligado a decisões do governo. Dependendo da ação política realizada, o produtor precisa saber como agir”, diz ao detalhar que as editorias ganham destaque sempre com o tom de conversar com o homem do campo.

O jornalismo do Canal Rural não para, entretanto, em pautas relacionadas a questões gerais da economia e da política. Além do tradicional espaço de serviços – que passa por informar cotações de grãos, insumos e produtos do setor -, a empresa de comunicação que cada vez mais se posiciona como multimídia investe em meteorologia. Falar do clima se tornou algo imprescindível, analisa Donário. “Com as ferramentas de meteorologias cada vez mais precisas, precisamos passar informações para o produtor rural. Uma notícia a respeito de chuva, de tantos milímetros, faz o agricultor daquela região se preparar e o ajuda a tomar decisões ao longo da safra”, explica o presidente do veículo que possui, desde setembro deste ano, plataforma online exclusiva sobre previsão do tempo.

Ainda em novembro, o site do Canal Rural será reformulado (Imagem: Reprodução)
Ainda em novembro, o site do Canal Rural será reformulado (Imagem: Reprodução)

Novo site
A plataforma voltada ao clima é apenas um braço do investimento que o Canal Rural faz na internet. No mês de comemoração de 20 anos no ar, a empresa prepara nova versão de seu site. Previsto para estrear em 21 de novembro, o reformulado canalrural.com.br vai priorizar o mobile – maior fonte de audiência, pontua o presidente da emissora – e as preferências de cada internauta. Fazendo uso da tecnologia de inteligência artificial, a página vai ter “cara” diferente para cada usuário, tendo como base o histórico de navegação. “A gente percebe que o conteúdo tem que ser cada vez mais segmentado”, diz Donário. “O novo site vai abrir com design, cores e notícias diferentes para mim e para você. O site terá um jeito para quem procura informações sobre soja e outro formato para quem procura mais notícias sobre meteorologia”, explica o executivo.

O site prestes a ser reformulado apresentará outras novidades, como a melhoria do chamado formato responsivo, com a página se adaptando a cada tamanho de tela. Diferentemente do atual, dispositivos móveis ganharão a preferência. “É o chamado mobile first. É um site pensado para celular que também abre perfeitamente em computadores”, comenta Donário. Além de novos recursos, o projeto contará com ações que fazem sucesso na plataforma atual. É o caso do time de blogueiros (23 na atualidade). O presidente do Canal Rural afirma que a blogosfera da casa se destaca por apresentar “análises de profissionais que são especialistas em determinados assuntos que se tornam nichos dentro do próprio agronegócio” e, com isso, trazem mais audiência para o domínio.

Redes sociais
No ambiente virtual, as ações do Canal Rural não se resumem ao próprio site. Uma das forças de trabalho da equipe é cuidar das redes sociais, sobretudo o Facebook (fan page com mais de 700 mil curtidas) e o Twitter (29 mil seguidores). Donário comemora o fato de o número alcançado no Facebook representar alcance até maior que de outros veículos de comunicação que produzem conteúdo para o público em geral. Ele revela, contudo, que o sucesso foi atingido depois de testes e estudo das reações dos posts. Com as análises, veio a conclusão: as mídias sociais não poderiam ser meros repositórios do que era veiculado na TV ou no site. “A gente viu que nas nossas redes funciona bem mais assuntos mais leves, que vão para o lado da curiosidade. No Facebook, não informamos o preço do milho, mas falamos das ’10 curiosidades da soja’”, exemplifica.

Mais tecnologias
Seja por meio das redes sociais, do site ou da emissora de TV, boa parte das pautas do Canal Rural é em locais distantes de grandes centros urbanos (até para fazer jus ao nome do veículo). Para dar conta da gama de conteúdo a ser produzido em meio ao campo, a emissora se utiliza de recurso conhecido como “mochilink” (unidade de transmissão de áudio e vídeo, por meio da internet, que cabe em uma mochila, sem a necessidade de fazer uso de caminhões ou carros). Donário conta que esse formato desburocratiza o trabalho jornalístico, que precisa ser ágil. Além do “mochilink”, a emissora tem feito testes com vídeos em realidade aumentada, que por enquanto tem focado em materiais baseados em assuntos mais descontraídos e curiosos.

Canal Rural produz conteúdo até por meio de carreta (Imagem: Larissa Melo)
Canal Rural produz conteúdo até por meio de carreta (Imagem: Larissa Melo)

Eventos e branded content
Ainda relacionado ao conteúdo, o Canal Rural estruturou área de branded content. O setor foi desenvolvido após a percepção que para muitos anunciantes os 30 segundos do tradicional intervalo comercial já não estavam mais satisfazendo. A solução encontrada foi desenvolver projetos que contam com parcerias de marcas, mas que levam ao espectador final conteúdo relevante. No momento, o núcleo atua em três macros assuntos: capacitação, educação e informação. Também contando com apoios comerciais, a emissora realiza eventos que funcionam como ele entre o produtor rural e empresas do setor. O principal deles, o Projeto Soja Brasil, já está no quinto ano. E o que há nos eventos promovidos pelo Canal Rural? “Conteúdo”, enfatiza Donário, repetindo que se trata do “rei” da empresa de mídia que completa 20 anos com o ideal de ser a “usina da notícia” do agricultor brasileiro.

SOBRE O AUTOR

Anderson Scardoelli

Jornalista, 27 anos. Formado pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e pós-graduando em "Jornalismo Digital" pela ESPM. Há oito anos no Grupo Comunique-se, onde idealizou os projetos 'Correspondente Universitário', 'Leitor-Articulista' e 'C-SE Acadêmico'. Na empresa, já atuou como freelancer (inserção de conteúdo), estagiário de pesquisa, estagiário de redação, trainee de redação, subeditor e editor-júnior. É, desde maio de 2016, o editor-pleno responsável pelo Portal Comunique-se e pelo conteúdo do Prêmio Comunique-se.

COMENTAR

COMENTAR

Notícias Corporativas

VOTAÇÃO PREMIO COMUNIQUE-SE 2017