ESPECIAIS

Crise financeira afeta até o gigante The New York Times

the new york times - capa
(Imagem: reprodução)

O New York Times en Español chegou ao fim. Projeto havia sido lançado em 8 de fevereiro de 2016 com uma equipe de jornalistas baseados na Cidade do México

Por Teresa Mioli. Texto publicado originalmente no site do Kinight Center for Journalism in the Americas

Em uma nota aos leitores em 17 de setembro, o New York Times anunciou abruptamente o fim de sua edição em espanhol, depois de mais de três anos, por razões financeiras.

“Lançamos o NYT en Español como parte de um experimento para alcançar e envolver mais leitores internacionais, estendendo nossa cobertura para diferentes idiomas. Embora o site em Español tenha atraído um novo público para o nosso jornalismo e tenha produzido consistentemente uma cobertura da qual temos muito orgulho, ele não teve sucesso financeiro”, dizia a carta. “Nossa estratégia agora está focada em nossas reportagens orientadas a assinaturas para um público global”.

A tradução para o espanhol continuará sendo feita e será publicada em www.nytimes.com/es.

Além disso, a publicação afirmou que o fechamento “não afeta nossa cobertura da América Latina, que permanecerá robusta com uma equipe dedicada baseados em Medellín, Cidade do México e Rio de Janeiro”.

O New York Times en Español foi lançado em 8 de fevereiro de 2016 com uma equipe de jornalistas baseados na Cidade do México. Os planos anteriores de lançar um site em português direcionado ao Brasil em 2013 nunca aconteceram.

Leia mais:

No dia seguinte ao anúncio de seu fechamento, a equipe do NYT en Español lançou uma versão de despedida de sua newsletter “El Times” com suas histórias favoritas.

A notícia do fechamento do NYT em espanhol foi rápida e brutal, e ainda não consigo falar sobre isso. Mas quero lhes dizer que, no meio de tudo, estávamos trabalhando nisso, para deixar um sinal de que cada minuto valeu a pena”, disse o agora ex-diretor editorial do NYT en Español, Eliezer Budasoff, em um tuíte.

Eles registraram o processo de paz na Colômbia, desastres ambientais no México e escândalos de corrupção no Peru. Havia artigos de opinião de gigantes do jornalismo latino-americano como Jorge Ramos e Daniel Coronell.

De acordo com a newsletter, a equipe publicava de 40 a 50 traduções por semana, além de artigos de opinião e reportagens originais, e seu público estava na casa dos milhões em termos de usuários únicos e visualizações de página.

“Mesmo quando selecionar, traduzir e editar artigos sempre ocupavam grande parte de nosso trabalho, o coração de nossa missão não era apenas traduzir textos para outro idioma, mas também proporcionar aos leitores uma tradição jornalística reconhecida por sua precisão, imparcialidade e qualidade, um símbolo do jornalismo independente, sem vínculos com o poder”, diz a newsletter.

Despedida

A equipe se despediu de seus leitores, colaboradores e colegas e agradeceu à empresa e aos parceiros editoriais.

“Estamos convencidos de que, nesses tempos, não há apenas a necessidade de um jornalismo de independência e excelência em espanhol, mas que todos os dias sejam criadas amplas oportunidades para projetos que contam as histórias da América Latina e do mundo com rigor jornalístico, nuances variadas e os diferentes sotaques do espanhol”, diz a carta.

Colegas da América Latina, incluindo correspondentes estrangeiros do NYT que ainda trabalham na América Latina, expressaram sua tristeza com o encerramento da edição em espanhol.

“Apesar do incrível crescimento da audiência, do enorme talento da equipe e do jornalismo relevante e incisivo que ele criou, a decisão comercial foi tomada para encerrar as operações”, tuitou Azam Ahmed, chefe de escritório do NYT para o México, América Central e Caribe, com base no México. “Parte meu coração perder colegas e amigos tão incríveis. Sinto-me honrado por ter trabalhado com essa equipe, por aprender com eles e por ver o notável jornalismo que eles criaram. Eles estão entre os melhores jornalistas do setor”.

SOBRE O AUTOR

avatar

UT Knight Center

O Centro Knight para o Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas em Austin é um programa de extensão e capacitação profissional para jornalistas na América Latina e no Caribe. Organiza programas de treinamento que já beneficiaram milhares de jornalistas e professores de jornalismo nas Américas. O Centro Knight também ajudou a criar uma nova geração de organizações jornalísticas independentes. Essas organizações têm desenvolvido programas de treinamento auto-sustentáveis com o objetivo de aumentar os níveis éticos e profissionais do jornalismo, contribuindo assim ao aprimoramento da liberdade de imprensa e da democracia no hemisfério. O Knight Center publica um blog trilíngue em português, espanhol e inglês que cobre temas ligados ao jornalismo e à liberdade de imprensa na América Latina e no Caribe.

COMENTAR

COMENTAR

Prêmio Comunique-se