COMUNICAÇÃO

Mais um desfalque no jornalismo esportivo da Globo

globo - logo - mari palma - tino marcos - victor bonini - jornalismo esportivo - glenda kozlowski
(Imagem: divulgação/Globo)

Glenda Kozlowski deixa o SporTV e, consequentemente, o Grupo Globo. Com experiência no jornalismo esportivo, ela se desliga da empresa depois de 23 anos como funcionária

Na sexta-feira, 18, a apresentadora Glenda Kozlowski se juntou ao time composto por nomes como Monalisa Perrone, Dony De Nuccio, Márcio Canuto, Tiago Maranhão, Mari Palma e Phelipe Siani. Desde julho, esses são alguns dos profissionais que, ao menos oficialmente, decidiram trocar o Grupo Globo por novos projetos. Com Glenda, que atualmente estava à frente do ‘Tá na Área’ (SporTV), o ciclo com a empresa de comunicação se encerra após 23 anos de colaboração para projetos no núcleo de jornalismo esportivo.

Em nota, o Grupo Globo garante que a saída da apresentadora foi “em comum acordo”. Afirma, ainda, que o ‘Tá na Área’ seguirá na grade diária de programação do SporTV, com comando de Fred Ring. Ele, aliás, já apresentava a atração ao lado da profissional. Em conversa com a coluna de Flavio Ricco, primeiro a noticiar tal movimentação, Glenda Kozlowski informou, contudo, que decidiu trocar de emprego. Deixa a imprensa e o jornalismo esportivo para trabalhar na área de inteligência artificial. “Tem um mundo novo à minha espera. Um projeto com a IBM, inteligência artificial”, revelou. “É um mundo novo que quero conhecer. Estou bem ansiosa”, prosseguiu.

Glenda Kozlowski estava no Grupo Globo desde 1996

Deslocada nos últimos meses para o SporTV, onde apresentava desde janeiro o ‘Tá na Área’, Glenda Kozlowski chegou ao Grupo Globo em 1996. Na TV aberta, foi repórter e apresentadora do jornalismo esportivo da emissora. Comandou as versões nacional e paulista do ‘Globo Esporte’. Foi uma das apresentadoras mais longevas do ‘Esporte Espetacular’. Permaneceu na equipe da atração dominical de 2010 a 2016, quando foi substituída por Fernanda Gentil. No mesmo ano de 2016 foi testada como narradora em modalidades dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Alvo de críticas, deixou a função e permaneceu como repórter especial do setor — até assumir o projeto no canal campeão.

glenda kozlowski - jornalismo esportivo - globo - capa
Glenda Kozlowski. Apresentadora troca a Globo por trabalho com inteligência artificial. (Imagem: divulgação/Globo)

Agradecimento

Por meio do Instagram, onde conta com mais de 600 mil seguidores, Glenda Kozlowski fez questão de agradecer. Dos colegas aos executivos do Grupo Globo. Mas agradeceu especialmente os telespectadores. “Se pude estar durante todos esses anos dentro desta caixa mágica é porque vocês, de casa, me abraçaram. Riram e se emocionaram junto comigo. Tiveram sempre o maior carinho e paciência com essa menina que chegou como uma moleca atleta na sua televisão e foi se transformando com o passar dos anos…. E vocês comigo na hora do almoço, no ‘GE’ e por muitos anos, todos os domingos no ‘EE’, do bom dia ao boa tarde”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por glendakozlowski (@glendakozlowski) em

Outras baixas no jornalismo esportivo

Além de saída em outros setores, o jornalismo esportivo do Grupo Globo tem passado por mudanças em 2019. No fim do último semestre, os apresentadores Ivan Moré e Cris Dias deixaram o canal. Após ser “queimado” pela própria emissora e ter sido afastado, Mauro Naves saiu de vez da empresa de comunicação em julho. Assim com Glenda Kozlowski, Tiago Maranhão optou por trocar o Grupo Globo por projeto com inteligência artificial, sendo contratado pela Amazon. Repórter da praça São Paulo, Leo Bianchi foi demitido no começo de outubro. Profissionais premiados, Tino Marcos e Marcos Uchôa pediram afastamento do veículo. Os dois devem retomar suas funções apenas em 2020.

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR