Portal Comunique-se

Com mais de 250 mil vagas em aberto, T.I também é o setor que mais cresceu no home office

O número de ofertas de emprego no modelo remoto cresceu 309% em 2020, com a área de tecnologia correspondendo a 41%

Compartilhe

São Paulo, SP 22/6/2021 – A quantidade de vagas disponibilizadas em T.I é muito maior do que o volume de profissionais capacitados ou em formação

O home office ganhou popularidade no ano passado, devido à pandemia. Segundo dados do site de seleção e recrutamento Vagas.com, o número de ofertas de emprego neste modelo cresceu 309%, o que equivale a 2.428 vagas abertas em 2020. Destas oportunidades, o setor que mais contribuiu para este número foi o de tecnologia (41%), seguido por finanças (11%) e consultoria e gestão empresarial (10%).

T.I também liderou a lista de áreas mais procuradas pelos candidatos, alcançando 38% das pesquisas, seguido de vendas (10%) e recursos humanos (4%). Um dos fatores que pode explicar a liderança da área de tecnologia como uma das mais procuradas pode ser pelo fato de que estes profissionais conseguem adotar o modelo de trabalho remoto, sem que isso atrapalhe sua rotina ou seus projetos, pois as tarefas podem ser feitas a distância. 

Em uma pesquisa realizada pela empresa de segurança Fortinet, 30% das organizações mostraram interesse em manter o home office, mesmo após o fim da pandemia. Relataram, inclusive, a pretensão de aumentar em 90% os investimentos em estrutura para o trabalho remoto – cerca de 250 milhões de dólares voltados para o teletrabalho.

Em adição a essa expansão da área de tecnologia, ainda há um déficit de 250 mil empregos no setor, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação. A quantidade de vagas disponibilizadas é muito maior do que o volume de profissionais capacitados ou em formação. 

Somando o crescimento da área de T.I, a alta demanda por profissionais capacitados, a compatibilidade com o home office e o fato de que apenas 20% de quem termina o ensino médio têm acesso à faculdade, é possível perceber que uma graduação na área é essencial para os interessados em trabalhar neste segmento.

Pensando em ensino superior, é possível trilhar tanto um bacharelado quanto um tecnólogo. O bacharelado tem duração maior, entre quatro e seis anos. São cursos que fornecem a base científica de uma área de conhecimento, habilitam o portador do título a exercer uma profissão de nível superior, pesquisa científica e também fornecem uma visão ampla e generalista. Já a graduação tecnóloga é um curso superior voltado para o mercado de trabalho. São mais práticos e realizam muitos projetos em laboratórios que simulam problemas reais, para que se alcance uma formação específica. Eles são mais curtos (entre dois e três anos de duração), pois focam somente em determinado campo do saber.

Para quem almeja entrar o quanto antes no mercado de trabalho, os tecnólogos são um bom negócio, principalmente em uma área que busca profissionais, como T.I. No Centro Universitário FIAP, todos os cursos tecnólogos oferecem uma certificação a cada semestre concluído, o que é uma boa estratégia para acelerar a capacitação e comprovar conhecimento do aluno. A FIAP está com as inscrições para o vestibular dos cursos tecnólogos on-line abertas até 29 de julho.

Website: https://www.fiap.com.br/graduacao/vestibular/

Compartilhe
0
0

DINO Agência de Notícias Corporativas

Agência de notícias corporativas. Conteúdos publicados em rede de parceiros online. Na lista de parceiros estão grandes portais, como os casos do Terra, do Metrópoles e do iG. Agência Estado e Agência O Globo também fazem parte desse time, assim como mais de uma centena de sites e blogs espalhados país afora.

Publicidade

Papo de Redação

Prêmio 2021

Prêmio Comunique-se

Patrocinadores Ouro

Patrocinadores Ouro

Patrocinadores Prata

Patrocinadores Prata

Patrocinadores Bronze

Patrocinadores Prata