noticias-corporativas

Como escolher o berçário para seu filho

A chegada de um filho modifica a rotina da casa e da família, os planos e as prioridades se voltam ao bem-estar e cuidados com a criança. Porém, passados os meses da licença-maternidade, chega um dos momentos mais difíceis: voltar ao trabalho e entregar o bebê aos cuidados de outros. A escolha de um berçário, por exemplo, é uma grande responsabilidade.

26/3/2013 –

A chegada de um filho modifica a rotina da casa e da família, os planos e as prioridades se voltam ao bem-estar e cuidados com a criança. Porém, passados os meses da licença-maternidade, chega um dos momentos mais difíceis: voltar ao trabalho e entregar o bebê aos cuidados de outros. A escolha de um berçário, por exemplo, é uma grande responsabilidade.

Segundo a psicóloga e psicanalista Christine Bruder, idealizadora do berçário Primetime Child Development, um centro de desenvolvimento infantil bilíngue para bebês de zero a 3 anos, estruturado a partir de um conceito único no Brasil, este período complicado pode ser amenizado e se tornar uma experiência muito enriquecedora, desde que a mãe se sinta segura ao escolher um lugar que atenda às necessidades de seu bebê e que possa ser um sólido parceiro na missão de cuidar dele.

De acordo com Christine, bebês e crianças de 3 meses a 3 anos possuem necessidades específicas em termos de segurança e saúde, que devem ser rigorosos e ir além da limpeza, bom senso e comida gostosa. Para garantir isso, é preciso visitar a instituição, verificar a limpeza do local, e se o prédio e sua circulação possuem escadas, varandas ou vãos desprotegidos. No Primetime, por exemplo, os ambientes foram projetados sob medida para os bebês e crianças sempre levando em consideração suas características, necessidades e proteção.

Um berçário também deve oferecer um ambiente e experiências de vida estimulantes, física e intelectualmente. E para isso, precisa possuir bons materiais e brinquedos seguros que apresentem cores, texturas, cheiros, formas, sabores e sons variados, sobretudo, com grandes possibilidades de exploração, respeitando os interesses e ritmo de cada um. Outro ponto importante é checar a política do local com relação à permanência de crianças adoentadas, e se a alimentação oferecida é composta na sua maioria de alimentos naturais, frescos, integrais e não industrializados.

O desenvolvimento emocional sadio é construído no contexto das primeiras relações humanas que a criança estabelece na vida. Sendo assim, a relação do bebê com suas primeiras cuidadoras (sejam elas a mãe, a babá ou a berçarista) é a peça chave para um bebê crescer seguro, com autoimagem positiva, confiante na vida e solidário. Por isso, no Primetime os cuidados não são divididos entre diversas pessoas, cada educadora orienta grupos de até quatro bebês, levando sempre em consideração as necessidades de cada um, respeitando às suas rotinas de sono, alimentação, interesses pessoais e disposições.

“A escolha do berçário é sempre muito difícil, por isso, questione abertamente, procure indícios do que é afirmado e principalmente peça exemplos práticos do que é dito, pois o discurso deve ser coerente com o que é visto durante a visita ao local. Enfim, mostre-se informada, seja exigente e não se esqueça de ouvir atentamente o que seu coração tem a dizer nessa escolha”, conclui.