COMUNICAÇÃO

Entrevista à Jovem Pan pode render processo a João Doria

joao doria - entrevista - jovem pan - marcio franca
João Doria criticou Márcio França durante entrevista à Jovem Pan (Imagem: reprodução/Jovem Pan News)

Ex-prefeito de São Paulo, João Doria deu entrevista à Jovem Pan como pré-candidato a governador. Alvo de críticas, o atual ocupante do cargo, Márcio França, promete processar o concorrente

Dias após renunciar ao cargo de prefeito da capital paulista, João Doria já figura na imprensa como pré-candidato ao governo do estado de São Paulo. Nesta sexta-feira, 12, o representante do PSDB concedeu entrevista ao ‘Jornal da Manhã’, da Jovem Pan. A conversa, porém, poder fazer com o tucano seja acionado na Justiça. Ao menos é isso que o atual governador, Márcio França, promete fazer. Pré-candidato no PSB na disputa pelo Palácio do Planalto, ele foi alvo de críticas por parte do oponente.

Em pouco mais de 20 minutos de entrevista, João Doria fez trocadilho com o sobrenome do adversário político, o chamando de Márcio “Cuba”. Durante a conversa com os apresentadores Thiago Uberreich, Joseval Peixoto, Denise Campos de Toledo e Marco Antonio Villa, o ex-prefeito de São Paulo usou outros termos para se dirigir ao concorrente. “Esquerdista” e “fã do Lula” foram algumas definições por parte do integrante do PSDB. Ele acusou o socialista de usar a máquina do estado paulista para fazer apenas política.

Doria também não poupou o Partido Socialista Brasileiro de críticas. Fazendo uso do recurso audiovisual da Jovem Pan – que tem sua programação transmitida por YouTube e Facebook -, ele exibiu para as câmeras duas imagens impressas em sulfite. Na primeira, há a carta em que o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, divulga apoio ao ex-presidente Lula. Na segunda, o governador Márcio França aparece ao lado de políticos do PCdoB.

Briga na Justiça?

Ciente das críticas feitas por João Doria durante a entrevista à Jovem Pan, Márcio França prometeu que o caso será levado a instâncias superiores. O integrante do PSB acusou o tucano de espalhar mentiras a seu respeito. “O prefeito que abandonou a cidade de SP fez hoje, em entrevista à rádio Jovem Pan, aquilo que ele sabe fazer de melhor: mentir, plantar o ódio e semear a divisão”, afirmou o postulante à reeleição por meio de postagem no Facebook.

França reforçou, em outro trecho, que Doria abandonou o cargo de mandatário da maior cidade do país; “O prefeito que abandou a cidade de SP será acionado judicialmente, via MP/SP, por Representação, pelas mentiras que falou a meu respeito hoje”, anunciou. “O caso do prefeito que abandonou SP é psicológico e não político. Tenho apenas a lamentar a postura de um homem como ele, que deveria entender a política como instrumento de consenso, diálogo e conciliação. O Estado de São Paulo, por sua grandeza e força, não merece esse tipo de atitude”, finalizou Márcio França.

Críticas anteriores

Dois dias antes da entrevista de João Doria à Jovem Pan, o próprio Márcio França visitou o estúdio da emissora. O socialista foi sabatinado pela mesma equipe responsável pela linha de frente do ‘Jornal da Manhã’. Ao ser apresentado aos ouvintes por Thiago Uberreich, ele mandou indireta ao adversário tucano. Aos risos, ele disse que cumpriu a promessa de voltar à rádio depois que assumisse o cargo de governador. Até a última semana, a função pertencia a Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB à presidência da República. “Tenho palavra”, disse Márcio França. Durante a entrevista, ele lembrou que João Doria tinha dado a palavra de que ficaria à frente da prefeitura de São Paulo por quatro anos.

Informação omitida

Além de usarem a Jovem Pan para trocas de farpas, João Doria e Márcio França combinaram em outro ponto. Nenhum dos dois usou a entrevista para explicar que há dois anos estavam juntos nas eleições municipais. Legenda que tem o diretório estadual presidido pelo próprio Márcio França, o PSB fez parte da coligação “Acelera São Paulo”, que ajudou a eleger os tucanos João Doria e Bruno Covas prefeito e vice-prefeito, respectivamente. Na época, um não acusou o hoje oponente de não ter palavra. O outro, por sua vez, não se referia ao então partido aliado como “esquerdista”.

SOBRE O AUTOR

Anderson Scardoelli

Anderson Scardoelli

Jornalista, 28 anos. Formado pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e pós-graduado em jornalismo digital pela ESPM. Há nove anos no Grupo Comunique-se, onde idealizou os projetos 'Correspondente Universitário' e 'Leitor-Articulista'. Na empresa, já atuou como freelancer (inserção de conteúdo), estagiário de pesquisa, estagiário de redação, trainee de redação, subeditor e editor-júnior. É, desde maio de 2016, o editor responsável pelo Portal Comunique-se e pelo conteúdo do Prêmio Comunique-se.

COMENTAR

COMENTAR