OPINIÃO

Fake news em tempos de Coronavírus

fake news

É preciso ter cuidado ao compartilhar informações, para não propagar fake news em um momento tão delicado

As notícias falsas, mais conhecidas como fake news, invadiram o cotidiano dos brasileiros. A propagação de informações de origem duvidosa se intensificou no ano passado, especialmente durante a campanha eleitoral para a presidência da República. Na imprensa internacional, o termo fake news começou a ser usado em 2016, nos Estados Unidos, durante a eleição do presidente Donald Trump. Atualmente, a pandemia do Coronavírus mostrou-se um campo fértil para a disseminação de fake news.

Em tempos de crise, como a que vivemos com a explosão de casos de Covid-19 no mundo inteiro, notícias de fontes não confiáveis se espalham pelas redes sociais e confundem a população. As fake news prestam um desserviço, pois disseminam boatos.

Neste cenário, o trabalho dos jornalistas é essencial para que os brasileiros fiquem bem informados e desconfiem de notícias alarmantes, de um site desconhecido, que recebem pelas redes sociais. Antes de compartilhar uma informação encaminhada no WhatsApp ou lida no Facebook, por exemplo, verifique se a fonte da matéria é segura, ou seja, se é de um meio de comunicação da grande imprensa. Duvide de notícias sensacionalistas ou que não citem a fonte da informação.

Leia mais:

• Democracia enfraquecida pode ser prejudicial para jornalistas
• É possível adaptar startups de jornalismo para a realidade latino americana?

A partir do início do isolamento social imposto em diversas cidade do país, alguns grupos no WhatsApp divulgaram a informação de que idosos flagrados na rua teriam o pagamento da aposentadoria bloqueado. Esse é um exemplo de fake news que ganhou força e deixou muitas pessoas apavoradas.

No último final de semana, surgiram relatos de que os Estados Unidos estariam confiscando equipamentos médicos destinados ao Brasil. A informação tratava-se de fake news e precisou ser desmentida pelo novo embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

Para combater a propagação de fake news durante a pandemia do Coronavírus, o Ministério da Saúde disponibilizou um número de WhatsApp para a população. A ideia é utilizar esse canal de comunicação como uma fonte segura para confirmar se as informações virais recebidas relacionadas à saúde são verdadeiras ou falsas.

Qualquer cidadão poderá enviar mensagens de texto ou imagens para o número (61) 99289-4640 e confirmar se a notícia procede ou não. Ao receber a resposta, ficará mais seguro para compartilhar o conteúdo com outras pessoas.

Vamos nos unir para acabar com as fake news!

SOBRE O AUTOR

avatar

Raquel Rodrigues

Jornalista e analista de comunicação. Formada em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo, com especialização em jornalismo internacional pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e pós-graduanda em comunicação organizacional pela Universidade Anhembi Morumbi. Em redação, passou pelo Sistema Globo de Rádio, onde foi estagiária, produtora e repórter. Ainda na reportagem, colaborou com o site Universo Jatobá. Em comunicação corporativa, trabalhou por três anos para a agência Ricardo Viveiros & Associados. De março de 2018 a novembro de 2019, atuou como analista de comunicação da Pró-Saúde -- cuidando da comunicação interna, atuando em ações de assessoria de imprensa e sendo mestre de cerimônias de eventos organizados pela entidade.