COMUNICAÇÃO

Movimento Jornalistas Contra o Assédio lança vídeo

jornalistas contra o assédio
(Imagem: Reprodução/Jornalistas Contra o Assédio)

No Dia Internacional da Mulher, o movimento Jornalistas Contra o Assédio, que surgiu após o crime cometido pelo funkeiro Biel contra uma então estagiária da redação do portal iG, apresentou a mais um vídeo. O material divulgado nesta semana conta com a participação da apresentadora Tatiana Vasconcellos, que acaba de trocar a BandNews FM pela CBN, e questiona o que realmente deve ser discutido e comemorado na data que marca a luta por direitos iguais entre os gêneros.

#menosfloresmaisrespeito

O segundo vídeo da campanha #jornalistascontraoassédio vem em uma semana geralmente marcada por flores, bilhetes, palavras gentis, mas queremos e precisamos lembrar que o 8 de março é todo dia. Mulheres jornalistas protagonizam a produção conduzida pela campanha, em parceria com a Terruá Filmes, a Tawil Comunicação, os editores Paula Rodrigues e Pablo Soares e a fotógrafa Alice Vergueiro. A luta é sempre válida e necessária, mas, com parceiros na caminhada, ela faz muito mais sentido. E tem muito mais força.De mulheres jornalistas para todas as mulheres, chega de assédio!! #menosfloresmaisrespeito #jornalistascontraoassédio

Publicado por Jornalistas contra o assédio em Terça, 7 de março de 2017

O conteúdo audiovisual mostra Tatiana chegando a uma redação no momento em que outras colegas estão trabalhando. Ao ver que em sua mesa tem um bilhetinho com mensagem fofa e um buquê de flores, preparados para festejar a data, a jornalista dispensa os “presentes” e pergunta: “afinal, o que nós, mulheres jornalistas, gostaríamos de comemorar nesse dia?”. Como resposta, as outras jornalistas envolvidas na ação, entre elas Beatriz Sanz (ex-integrante do projeto ‘Correspondente Universitário’ do Portal Comunique-se e atual estagiária do El País Brasil), sinalizam que preconceitos contra aparência, identidade de gênero, raça e até com mães ainda assombram os veículos de comunicação espalhados pelo país. Tatiana Merlino, Marina Rossi e Cinthia Gomes fecham o time de jornalistas-protagonistas da ação.

“Uma semana geralmente marcada por flores, bilhetes, palavras gentis, mas queremos e precisamos lembrar que o 8 de março é todo dia”, comentam as responsáveis pela fan page do Jornalistas Contra o Assédio, que foi idealizada pela dupla Janaina García e Thaís Nunes. “De mulheres jornalistas para todas as mulheres, chega de assédio”, continua a equipe do movimento, que promove a hashtag #menosfloresmaisrespeito.

As jornalistas contra o assédio não estão sozinhas

O movimento responsável pelo vídeo protagonizado por Tatiana Vasconcellos mostrou, ainda, que conta com o apoio de parceiros. Além das jornalistas que aceitaram gravar a campanha audiovisual, o projeto informa que a ação da vez teve a presença de duas empresas da área: Terruá Filmes e Tawil Comunicação. Além disso, a fotógrafa Alice Vergueiro e os editores Pablo Soares e Paula Rodrigues colaboraram com seus trabalhos.

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR

COMO AGÊNCIAS PODEM CRESCER FATURAMENTO COM O INFLUENCER MARKETING?

Webinar

14/07 às 16:00