noticias-corporativas

Mercado imobiliário carioca em alta: um empreendimento inovador no bairro de Botafogo

O mercado imobiliário carioca apresentou uma alta, mesmo no período da pandemia. Construtoras, incorporadoras e imobiliárias se beneficiaram com a redução da taxa Selic, favorecendo lançamentos, principalmente na Zona Sul. Um novo empreendimento residencial está chegando em Botafogo e pretende mudar totalmente o conceito de morar na região.

Rio de Janeiro, RJ 12/8/2020 – O mercado imobiliário já está em alta. Temos uma saída de capital da renda fixa e migração para outros investimentos.

O cenário econômico atual foi afetado pela pandemia da Covid-19, impactando  todos os setores. As estatísticas iniciais da OMC indicavam uma recuperação econômica geral somente em 2021. No entanto, contrariando as previsões, algumas empresas conquistaram destaque durante esse período. 

É o caso das construtoras, incorporadoras e imobiliárias, sobretudo as que estão alinhadas com o trabalho online e que empregam métodos mais tecnológicos em seus processos.

O mercado imobiliário carioca é bastante valorizado, pois há uma variedade de condomínios de apartamentos e coberturas, com áreas de lazer e sofisticados sistemas de segurança. Há imóveis de diversos tipos e tamanhos, que empregam alta tecnologia e sustentabilidade, sobretudo os de alto padrão.

Todos estes diferenciais e exclusividades atraem pessoas que se encantam com os empreendimentos e desejam morar na região. No caso dos compradores e investidores estrangeiros, um grande incentivo é a cotação do dólar, que atualmente está acima da casa dos R$ 5.

O mercado imobiliário carioca em 2020

A trajetória econômica do mercado imobiliário é marcada por diversos altos e baixos, incluindo a retração gerada pela crise dos últimos 5 anos. O ano de 2019 apresentou melhores perspectivas por conta dos ajustes fiscais e outras medidas liberais. Essas mudanças beneficiaram o setor da Construção Civil, incentivando o lançamento de novos empreendimentos e reativando o mercado.

Porém, com a pandemia pela Covid-19 este ano, houve forte crise na área da saúde e da economia global. Se instaurou uma instabilidade na confiança da população, devido a incertezas sobre como enfrentar a nova realidade. Isso gerou uma nova retração em quase todos os setores econômicos, incluindo o imobiliário, nos meses de março e abril.

Segundo João Paulo Salgueiro, sócio da INVEXO Imobiliária, “a chegada da Covid no mês de março estragou o bom momento que o mercado imobiliário estava passando. A pandemia atrapalhou bastante a recuperação que estava acontecendo. Março e Abril realmente foram meses bem complicados. As vendas praticamente cessaram. Todo mundo estava com medo de sair de casa”.

A partir de maio, os incentivos governamentais, os avanços nas pesquisas e os protocolos de prevenção da OMS melhoraram as expectativas, fazendo com que as pessoas pudessem retornar à rotina de maneira adaptada.

Salgueiro informa que “em maio, a nossa empresa retornou ao patamar de vendas dos meses antecedentes à Covid-19”.

O relatório Focus do Banco Central emitiu, na primeira semana de agosto, a previsão de inflação de 1,63% no fim de 2020. Com a taxa Selic em baixa, a renda fixa não gera rendimento significativo, fazendo os investidores escolherem alternativas com retorno seguro. Os investidores brasileiros, em sua maioria, são conservadores, optando por imóveis ou poupança.

Como diz Salgueiro, “na minha visão o mercado imobiliário já está em alta. Temos uma saída de capital da renda fixa e migração para outros investimentos. Na sua maioria a população brasileira é avessa ao mercado acionário, pois considera de alto risco. E a maioria dos brasileiros gosta do que é seguro, como poupança e imóveis. É uma tendência. A gente já percebe um fluxo da renda fixa direto para os imóveis. Logo, acredito que o mercado já está em alta. O principal motivo por não percebermos sinais mais evidentes é por causa da pandemia em vigor.”

A respeito do primeiro semestre de 2020, a Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) indicou a maior alta nos últimos dez anos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), com aumento de 35,2% em relação ao ano passado, no mesmo período. O Banco Central do Brasil também registrou um crescimento de 20,5% nos financiamentos imobiliários.

Reforçando a percepção de Salgueiro sobre a alta do mercado imobiliário, o Comitê de Política Monetária do BACEN reduziu a taxa Selic de 2,25% para 2% ao ano, facilitando o financiamento e o crédito.

Novo Normal

Com a pandemia, a realidade precisou ser adaptada. O Novo Normal, por exemplo, é um conceito que surgiu durante a crise e que pode atuar como aliado no retorno às atividades em todos os setores. Dentro do contexto imobiliário, o Novo Normal também trouxe novas práticas preventivas e de limpeza, possibilitando a reabertura de imobiliárias e também as visitas aos decorados das incorporadoras.

Além dos protocolos de prevenção, o Novo Normal evidenciou formas de trabalho remoto e o incentivo aos recursos tecnológicos em todos os setores empresariais.

A INVEXO Imobiliária apresenta uma proposta pioneira, adotando estratégias alinhadas à tecnologia desde sua fundação. Especializada em imóveis de luxo no Rio, fechou exclusividade do lançamento residencial Botafogo Xperience, da construtora Engeziler e RAF Arquitetura.

Localizado na Rua Sorocaba, endereço privilegiado do bairro de Botafogo, o empreendimento tem um conceito arquitetônico singular. A proposta vai de encontro ao estilo do bairro, presente na lista dos “50 bairros mais cool do mundo”, promovida pela revista americana Time Out em 2018. 

O bairro Botafogo

Um dos bairros da zona sul do Rio de Janeiro que tem ganhado visibilidade e destaque entre compradores, investidores, empresários, lojistas e moradores é Botafogo. Apesar de ser chamado por muitos como um “bairro de passagem” (até ganhou uma rua com esse nome), mantém antigos e velhos casarões, vilas e mansões que já foram ocupados por barões do café, corte portuguesa e seu corpo diplomático. 

Com aproximadamente 100 mil habitantes, Botafogo faz a ligação entre o centro da cidade e a zona sul, sendo conhecido por ser endereço ou ter vista privilegiada para os principais cartões-postais do país: Morro do Pão de Açúcar, Morro da Urca, Enseada de Botafogo e Aterro do Flamengo.

Atualmente, Botafogo é um dos mais importantes centros comerciais do Rio de Janeiro e tem grande importância para os bairros vizinhos, Humaitá e Urca, que são predominantemente residenciais. 

Botafogo se tornou um expoente imobiliário do Rio, por apresentar um grande potencial econômico, derivado da grande procura por aluguéis e terrenos residenciais ou comerciais, o que inclui os imóveis mais antigos. Alguns desses espaços, inclusive, contam com fachadas preservadas ou interiores com algumas características originais. E assim se constitui a essência democrática do bairro, que atrai jovens empreendedores, ao mesmo tempo em que respeita sua história e tradição.

Website: https://invexo.com.br/lancamento/botafogo-xperience/?utm_source=dino