OPINIÃO

Os 5 passos para o mercado de audiovisual

felipe braga- audiovisual - cásper líbero 1
O diretor e roteirista Felipe Braga (Imagem: Beatriz Vecchi)

Na manhã de segunda-feira, 6, a Cásper Líbero recebeu o diretor e roteirista Felipe Braga. Na conversa com os alunos de Rádio, TV e Internet, o sócio proprietário da Los Bragas, produtora responsável pela série “Samantha!”, que em breve entrará no catálogo da Netflix, listou os 5 pontos mais importantes para quem deseja seguir a carreira com produção audiovisual.

No bate-papo, o produtor também falou sobre a relação com a Netflix. “São muito abertos ao mercado brasileiro”.

Confira as dicas!

Propriedade Intelectual
Pensar em uma ideia que seja única.  Entre os exemplos, o empresário colocou “Homeland”, “Sessão Terapia” e “Rising Star”, modelos criados em Israel que foram vendidos para outras produtoras.

Novos Formatos
Segundo Braga, o formato que não é original está morto.  A originalidade é fundamental para a vida do produto.   Ainda usou a série “NEYMAR JR’S LIFE OUTSIDE THE FIELDS” como exemplo. A produção mostra os bastidores da vida de Neymar antes da Copa do Mundo de Futebol de 2014.

Na ocasião, grandes emissoras queriam produzir especiais com o jogador.  Após sugestão da produtora, Neymar optou por mostrar essa história em seu próprio canal do youtube.  O vídeo teve mais de 1.5 milhões de visualizações na plataforma.  “Foi uma maneira nova de contar uma história”.

Distribuição
Europa e Estados Unidos já possuem modelos diferentes como séries com capítulos de apenas dez minutos, o que seria ideal para assistir pelo celular. A série Latitude, das Los Bragas, segue essa linha com produções especificas para TV a cabo (25min), youtube (8 min) e filme (longa metragem).  “Um formato ajuda o outro”, explica.

Marcas
As marcas têm algo a oferecer além do investimento. “A página do Banco tem mais audiência que qualquer grande emissora”. As marcas têm um outro diferencial: “elas conhecem sua audiência pois investem em pesquisas”.  Felipe foi um dos diretores da versão contemporânea de Romeu, “Romeo Reboot”, produzida para Axe (Unilever).

Valor de Produção
Por último, Felipe explicou que para fazer algo especial em audiovisual não precisa de muito dinheiro e citou o documentário “Tracks: Dance”, que conta a história do brasileiro Thiago Soares – primeiro bailarino do Royal Ballet de Londres.  Apenas três pessoas foram responsáveis pela idealização e produção deste projeto.

***** ***** ***** ***** *****

Conteúdo produzido pela equipe de comunicação da Fundação Cásper Líbero exclusivamente para o Portal Comunique-se.

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR