Portal Comunique-se

Quais são as alternativas para aprender em 2020 em meio à pandemia?

Guia de educação divulga milhares de cursos online, tanto gratuitos quanto pagos, para pessoas de todas as idades continuarem estudando mesmo durante a pandemia.

Compartilhe

Brasil 27/8/2020 – Ainda em período de incertezas, a solução é focar em alternativas para suprir as necessidades de aprendizagem e de convívio social.

Com diversas atividades presenciais ainda limitadas ou proibidas, como as aulas presenciais, eventos de educação, palestras, cursos e congressos, que foram suspensas devido à pandemia, a população está sofrendo as consequências do isolamento social. Ainda em período de incertezas, a solução é focar em alternativas para suprir as necessidades de convívio social e aprendizagem.

O Brasil passa por um momento desafiador, com pessoas com qualificação profissional desempregadas e muitas crianças e jovens sem aulas ou se adaptando ao ensino remoto. A maioria dos brasileiros está acostumada com aulas presenciais. Além de escolas e faculdades, muitas pessoas frequentam cursos de inglês, dança, teatro, fotografia e muitos outros e todas essas atividades não são apenas maneiras de aprender, mas também formas de fazer conexões com a sociedade, algo muito importante na cultura brasileira.

De acordo com estimativa do coordenador de desenvolvimento humano do Banco Mundial para o Brasil, Pablo Acosta, cerca de 47 milhões de alunos ficaram sem aulas presenciais no início da pandemia. Em seguida, a maioria das escolas particulares passaram a dar aulas online, porém as instituições de ensino públicas demoraram para se adaptar ao ensino online. No Rio Grande do Sul, as escolas estaduais começaram o ensino a distância no dia 1º de junho conforme pronunciamento do governador Eduardo Leite. Ainda assim, universidades federais como a UFRGS, por exemplo, só tem previsão para retornar com o Ensino Remoto Emergencial em agosto, sem previsão certa de retorno das aulas presenciais.

Além disso, segundo o IBGE, 12,4 milhões de brasileiros estavam desempregados no final de julho. Somando isso a situação dos filhos sem aula e sem possíveis auxílios das escolas, percebe-se a necessidade de haver alternativas para as pessoas se desenvolverem e ocuparem da melhor forma o tempo em casa. Dessa maneira, surgem algumas opções: ler, cozinhar, escrever, aprender algo novo, fazer um curso online para se qualificar em determinada área, exercitar-se através de videoaulas, participar de seminários ou workshops online.

Segundo o relatório “Online Learning Steps Up: What the World is Learning (from Home)”, publicado por um grupo de pesquisadores da Udemy, o número de matrículas em cursos online apresentou aumento de 425% durante a quarentena, ou seja, mais que quadruplicou. Além disso, muitas instituições de ensino que ofereciam apenas cursos presenciais passaram a oferecer a opção à distância, resultando em um aumento da oferta de cursos pela internet, que cresceu 55%, oferecendo mais diversidade. Ademais, conforme o relatório, os cursos mais procurados são das áreas de comunicação, produtividade, edição de vídeos, desenho, teletrabalho. Sendo assim, isso demonstra aspectos do possível futuro do mercado de trabalho, que terá como característica o mundo digital.

Muitas instituições e empresas disponibilizaram cursos na internet para contribuir com aprendizado das pessoas neste momento e percebe-se que a sociedade está disposta a se qualificar. Inclusive, muitas pessoas estão focando em se preparar para o retorno ao mercado de trabalho com mais qualificação. Mas como encontrar o curso online mais adequado diante de tantas alternativas?

Para facilitar a busca de cursos, foi criada a Plataforma Aprimoramente, um Guia de Educação que permite de forma gratuita a busca de cursos online e presenciais, facilitando a procura por educação e promovendo a educação no Brasil. O site www.aprimoramente.com possui mais de 380 mil cursos, professores particulares e instituições de ensino em seu guia e a equipe se dedica diariamente a descobrir novos cursos e a manter atualizado o banco de dados, para que o aluno não precise procurar onde aprender em diversos lugares. E ainda, os professores e instituições de ensino, podem divulgar seus cursos, aulas e treinamentos gratuitamente para os alunos buscando onde aprender. Portanto, mesmo em meio à pandemia e às incertezas de 2020, é só querer aprender, que existem muitas opções para se qualificar pessoal e profissionalmente de forma online.

Website: https://www.aprimoramente.com

Compartilhe
0
0

Anderson Scardoelli

Jornalista, 31 anos. Natural de São Caetano do Sul (SP) e criado em Sapopemba, distrito da zona lesta da capital paulista. Formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e com especialização em jornalismo digital pela ESPM. Trabalhou de forma ininterrupta no Grupo Comunique-se durante 11 anos, período em que foi de estagiário de pesquisa a editor sênior. Em maio de 2020, deixou a empresa para ser repórter do site da Revista Oeste. Após dez meses fora, voltou ao Comunique-se como editor-chefe, cargo que ocupa atualmente.

Publicidade

Papo de Redação

Prêmio 2021

Prêmio Comunique-se

Patrocinadores Ouro

Patrocinadores Ouro

Patrocinadores Prata

Patrocinadores Prata

Patrocinadores Bronze

Patrocinadores Prata