OPINIÃO

Qual o impacto de nossas atitudes no mundo? – Por Lygia Pontes

Consultoria online

Há alguns meses, compartilhei aqui algumas recomendações de como podemos agir em tempos de crise e, nesse artigo, contei que comecei a oferecer, gratuitamente, consultoria para home-office produtivo. Foi a forma que encontrei de apoiar os profissionais que passaram a trabalhar de casa. Apesar de estar bastante empolgada com essa iniciativa, fiquei preocupada com a possibilidade de levar algum “bolo”.

Em um primeiro momento, podemos pensar que se isso acontecesse não seria um problema. Afinal, eu não teria que sair de casa para as reuniões, já que estamos em isolamento social. Por isso, se a pessoa não aparecesse, era só ocupar o horário com outra atividade. Mas quando analisamos com mais detalhes, nos damos conta de que esse fato, que, infelizmente, faz parte da nossa rotina, nos ajuda a responder uma pergunta bastante relevante: Qual o impacto de nossas atitudes no mundo?

Vamos ver o exemplo da consultoria gratuita para o home-office produtivo. Quando alguém agenda a reunião, eu coloco em prática essas atividades antes do encontro ocorrer:

1. Organizo a agenda: reservo o horário da consultoria, um tempo antes para me preparar para o encontro e um tempo depois, para as tarefas combinadas
2. Preparo a reunião: a partir das informações coletadas no primeiro contato, estruturo a pauta do encontro e demais atividades que serão feitas no encontro
3. Me preparo para a reunião: algum tempo antes, organizo o local onde irei fazer a reunião, releio a pauta, confirmo a conexão à internet, entre outras atividades

Por isso, quando a pessoa não aparece, eu não “ganho” 30 minutos para fazer outras atividades. Eu perco algumas horas que foram usadas na preparação para o encontro. E isso aconteceu em dois momentos desde que comecei a oferecer a consultoria gratuita para o home-office produtivo. É claro que imprevistos acontecem. Todos nós estamos sujeitos a isso. Mas se esse é o caso, a pessoa poderia avisar que não conseguirá estar na reunião, mesmo que poucos minutos antes. Também compreendo que às vezes é impossível saber antes que um imprevisto vai surgir. Se esse é o caso, um pedido de desculpas após o horário marcado é suficiente.

Esses dois acontecimentos me fizeram lembrar de eventos que participei há algum tempo. Os dois eram gratuitos e as vagas esgotaram. No primeiro, praticamente todo mundo que se inscreveu foi e, por isso, faltou lugar, faltou comida. No segundo, faltou muita gente e, por isso, muitos lugares ficaram vazios, sobrou muita comida e bastante gente que adoraria ter participado não conseguiu ir, já que não havia mais ingresso quando tentaram se inscrever. É normal haver cerca de 50% de ausência em eventos gratuitos, mas nesses dois casos, essa previsão não se concretizou e gerou problemas para a organização, para os participantes ou interessados nos eventos.

Leia mais:

Aos 93 anos de idade, Cid Moreira retorna ao rádio
Como manter sob o mesmo teto dois trabalhos difíceis de conciliar? – Por Edson de Oliveira

Por isso, gostaria de pedir que, antes de dizer sim a alguém, de agendar um compromisso, de se inscrever em um evento, você pense se realmente terá disponibilidade. E, caso confirme sua presença, tenha em mente que, se houver um imprevisto, você irá avisar a pessoa ou a organização. Se nos lembrarmos sempre da pergunta “Qual o impacto de nossas atitudes no mundo?” vamos diminuir muito o desperdício de tempo, de dinheiro, de energia, daremos oportunidades a quem realmente consegue aproveitá-las e transmitiremos uma imagem positiva. É um exercício simples, mas que gera um resultado enorme.

E fico muito feliz em ver que esse tipo de comportamento é praticamente a regra entre as inscritas e interessadas na Universidade da Conquista, programa de mentoria (totalmente gratuito), que tem como objetivo auxiliar meninas de 15-24 anos, alunas ou ex-alunas de escolas públicas (e bolsistas de escolas particulares), a desenvolverem o seu potencial para construírem o caminho profissional que desejam. É muito motivador ver que meninas tão jovens têm tanta responsabilidade em relação aos compromissos que assumem e respeito com as pessoas envolvidas no projeto. Isso tem sido mais um dos fatores de motivação para que eu siga com esse projeto que foi planejado com tanta dedicação.

Para saber mais sobre a Universidade da Conquista e se inscrever no Módulo “Conquista de uma Boa Comunicação”, acesse o link – até 01/12, terça-feira. A Universidade da Conquista é patrocinada pelo U.S. Department of State com financiamento do U.S. Government e administrada por Kauane Negreiros e Lygia Pontes.