COMUNICAÇÃO

Record é condenada a pagar R$ 50 mil a jovem exposta no ‘Cidade Alerta’

Record

Record TV foi condenada a pagar uma indenização de R$ 50 mil a uma jovem inocente, apontada pelo programa ‘Cidade Alerta’ como suspeita de homicídio, e sua família. O fato, ocorrido em 2017, levou à decisão da desembargadora Mônica de Carvalho no dia sete de outubro e divulgada esta semana pela coluna de Patrícia Kogut, no jornal O Globo.

De acordo com a publicação na coluna de Patrícia, a decisão da juíza considerou que a vítima de acusação não era, ao menos, investigada pela polícia. Na reportagem, que teve duração de aproximadamente 15 minutos no programa apresentado pelo jornalista Marcelo Rezende, a jovem foi colocada pela emissora como suspeita de assassinar a vizinha na cidade de Guaratinguetá, no interior de São Paulo.

Leia mais:

Escola Digitalista abre inscrições para última turma do Curso online de Marketing Digital em 2020
Google abre inscrições para programa direcionado a jornalistas de pequenas redações

As imagens divulgadas pela Record identificavam a casa em que a jovem vivia com seus pais. Posteriormente, o canal divulgou que o principal investigado era o marido da vítima. Na época, a emissora levou uma equipe para cobrir o caso e o repórter Aurélio Freitas conversou com vizinhos que demonstraram desconfiança com relação à vizinha, que ainda era menor de idade.

Desde o ocorrido, a emissora enfrentava processo judicial, que foi concluído por Mônica de Carvalho como propagação de fake news em busca de sensacionalismo midiático. A emissora vai pagar R$ 30 mil de indenização a jovem acusada sem provas e mais R$ 20 mil aos pais dela, que a representaram no processo.