COMUNICAÇÃO

Repórter de afiliada da Globo é ofendida por torcedor

reporter rbs tv afilaida globo agredida
A repórter Kelly Costa foi vítima de violência verbal durante o trabalho (Imagem: Arquivo Pessoal)

A repórter Kelly Costa, da RBS TV, afiliada da Globo, foi vítima de violência verbal durante a cobertura das semifinais do Campeonato Gaúcho

torcedor agressao kelly costa
Torcedor agrediu a jornalista Kelly Costa, da RBS TV (Imagem: Reprodução)

Mais um caso de violência contra a mulher jornalista no esporte: a repórter Kelly Costa foi vítima de agressão verbal enquanto trabalhava para a RBS TV, em transmissão no SporTV, na cobertura da partida entre São José-RS e Brasil de Pelotas, realizada no domingo, 25. A profissional foi ofendida por um torcedor, que proferiu palavras de cunho machista. As informações são do Globoesporte.com.

Em vídeo veiculado no SporTV, é possível ver o momento em que o torcedor agride a jornalista da afiliada da Globo. O homem foi identificado, retirado do estádio pela Brigada Militar e levado a um posto policial.

Em nota, a RBS TV repudiou o episódio. “A respeito das agressões verbais sofridas pela repórter Kelly Costa, da RBS TV, durante a cobertura do jogo São José x Brasil de Pelotas, nesse domingo, 25, o Grupo RBS reforça que repudia toda e qualquer forma de violência dirigida a jornalistas em atividade profissional e reitera sua inconformidade com acontecimentos desse gênero. A empresa está tomando as medidas legais para proteger a profissional e garantir a apuração dos fatos”, informa a emissora.

#Deixaelatrabalhar

Ao SporTV, a jornalista Kelly Costa falou sobre o ocorrido e reforçou a campanha #Deixaelatrabalhar, lançada no mesmo dia em que foi vítima de violência durante o trabalho. O manifesto assinado por 52 jornalistas pede respeito. “Hoje é um dia tão importante, histórico para a imprensa, para as mulheres da imprensa. Foi lançada uma campanha em todas as redes sociais. A gente ainda tem que passar por situações como essa. Não é a primeira vez que a gente escuta ofensas, insultos dentro do estádio. Não é só a Kelly Costa que sofre com isso. Tantas repórteres, apresentadores, bandeirinhas, gandulas, árbitras escutam isso todo jogo. E mesmo falando sobre isso, o assunto não se esgota. Já fui alvo de ofensas da torcida, sofri ato de machismo envolvendo técnico de futebol. A gente vê que se esse movimento envolvendo mais de 50 jornalistas é para mostrar nossa indignação. A gente não quer conviver com isso. Pelo contrário, a gente quer combater isso. Queremos trabalhar com tranquilidade sem provar nada para ninguém”, desabafou Kelly.

#DeixaElaTrabalhar: manifesto em defesa do trabalho das mulheres no esporte

#DeixaElaTrabalhar: jornalistas esportivas criam manifesto para denunciar machismo e assédio em estádios e ambientes de trabalho. O Portal Comunique-se apoia esta causa!

Publicado por Comunique-se em Segunda, 26 de março de 2018

 

SOBRE O AUTOR

Redação Comunique-se

Redação Comunique-se

Equipe responsável pela produção de conteúdo do Portal Comunique-se. Atualmente, a redação é composta pelo editor Anderson Scardoelli e a repórter sênior Nathália Carvalho.

COMENTAR

COMENTAR