COMUNICAÇÃO

TV Globo reforça jornalismo investigativo e contrata repórter da Veja

leslie leitão - jornalismo investigativo - veja - globo
O jornalista Leslie Leitão, novo reforço da TV Globo (Imagem: Yasmim Restum/PUC-Rio)

Repórter Leslie Leitão se prepara para deixar a redação da revista Veja para trabalhar na equipe de jornalismo investigativo da TV Globo no Rio de Janeiro

A TV Globo acaba de reforçar seu núcleo de jornalismo investigativo. A emissora passará a contar com o trabalho de Leslie Leitão, repórter que deixa a equipe da Veja depois de anos de conteúdos exclusivos – abordando desde o tráfico de drogas às ilegalidades envolvendo personalidades da política. Na imprensa, o jornalista troca de empresa de comunicação, mas não de cidade. Ele integrará a redação do canal no Rio de Janeiro, onde já atuava na sucursal mantida pela revista da Editora Abril.

Para compor o departamento de jornalismo na TV Globo, Leslie Leitão levará toda a bagagem e experiência construída até aqui. Formado em comunicação social pela Faculdade Estácio de Sá, ele tem a sua trajetória profissional ligada a veículos sediados no Rio de Janeiro. Ele começou a carreira na editoria esportiva, em 1996, sendo repórter  da [hoje extinta] agência Sports Press. Aos 19 anos, chegou diário Lance. No jornal, em que permaneceu por seis meses, pegou gosto por pautas investigativas e ficou reconhecido por se dedicar a temas de denúncias desportivas.

Depois do início profissional, Leslie Leitão deixou o Lance e foi contratado pela Infoglobo para ser repórter do popular Extra. Na publicação, seguiu ligado ao noticiário esportivo, chegando a concorrer ao Prêmio Esso de Jornalismo com a reportagem “Eurico Miranda e a caixa preta do futebol”, publicada em 2001. Antes de chegar à revista Veja, o mais novo contratado da TV Globo teve outra experiência em jornal diário: passou por O Dia, veículo em que, com o faro investigativo que lhe é característico, foi o primeiro a abordar o sumiço da modelo Eliza Samudio, que manteve relacionamento amoroso com o então goleiro Bruno Fernandes, do Flamengo.

Repórter e escritor
O sumiço de Eliza Samudio, noticiado em primeira mão por Leslie Leitão no jornal O Dia, se provou mais do que simples desaparecimento. O tempo mostrou que Bruno Fernandes e um amigo dele conhecido pelo apelido de Macarrão planejaram o assassinato da modelo, que tinha um filho com o então goleiro do Flamengo. O atleta confessou o crime, a dupla foi condenada e o caso virou tema do livro Indefensável: O goleiro Bruno e a história da morte de Eliza Samudio (Record, 2014). A obra é assinada pelo novo repórter da TV Globo e por outros dois jornalistas: Paula Sarapu e Paulo Carvalho.

Filho de jornalista
A ligação de Leslie Leitão com o jornalismo começou antes mesmo do ingresso na faculdade e na redação do diário Lance. Ele é filho de Sergio Leitão, profissional que, entre outras atividades, cobriu quatro Copas do Mundo, viajou por mais de 70 países e foi o responsável por noticiar ao mundo a prisão de Ronald Biggs, ladrão inglês que ficou famoso por conseguir fugir para o Brasil após assaltar um trem pagador. Com mais de 50 anos dedicados a relatar os fatos na imprensa, Sergio Leitão morreu aos 69 anos, em julho de 2015.

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR

Prêmio Comunique-se