OPINIÃO

7 lições de branding encontradas no filme “A Fome de Poder”

branding - artigo
(Imagem: Reprodução)

O papel estratégico do branding é muito bem representado no contexto do filme “Fome de Poder”, que narra a história da rede de lanchonetes Mc Donald´s, a partir da visão do empreendedor Ray Kroc, interpretado por Michael Keaton. A partir da história é possível fazer diversas analogias com relação às lições que são extraídas do filme e o contexto atual dos negócios, principalmente aquelas que geram reflexões e atitudes de mudança em busca da maior eficiência das empresas. Como o filme mostra, nunca é tarde demais para isso.

Confira sete lições de Branding que a diretora da Aurora Branding, Viviane Camargo, encontrou no filme:

  1. Persistência, persistência, persistência…

Essa era a palavra da gravação e auto ajuda que o empreendedor Ray Kroc ouvia em meio as suas viagens para apresentar sua máquina de milk shakes. Ele já tinha em torno de 50 anos quando se viu de frente a uma das maiores oportunidades de sua vida, e sua trajetória até este momento não havia sido nada fácil, inclusive gerando imagem de projetos incompletos na sua carreira. Mas sua persistência se mostrou presente, mesmo na superação das dificuldades do dia a dia, ou quando tentava convencer os irmãos Mc Donald de que o propósito do seu negócio era muito maior, independente dos fracassos da dupla nas tentativas de expansão (franquia, franquia, franquia).

  1. Pesquise e escute o consumidor

Conhecedor profundo do mercado, Ray Kroc percebeu no modelo de atendimento criado pelos irmãos Mc Donald´s, um diferencial. Estudioso das deficiências do modelo existente mais popular, os Drive-Ins, viu na velocidade gerada pelo processo de produção singular, algo que ampliava a experiência do consumidor, e que superava até mesmo o sabor, atributo que aparece de forma discreta no filme.

  1. Ter um propósito maior

Visionário, Ray Kroc enxergou no singelo negócio da pacata cidade de San Bernardino, um propósito maior, uma relação íntima com o way of life dos norte-americanos, algo que daria mais sentido à vida de todos. Suas crenças ficam ainda mais concretas na descrição da sua visão do propósito do negócio. Do it for your country, do for America.  Para exemplificar o propósito, usou a analogia dos arcos semelhantes as cruzes das igrejas e à bandeira nacional dos tribunais, locais onde as pessoas sadias se reúnem para compartilhar valores, protegidos pela bandeira americana. “Não diz apenas deliciosos hambúrgueres aqui, significa família, significa comunidade, é um lugar onde os americanos se reúnem para dividir o pão”. “Mc Donald´s can be the new American Church”…”feeding bodies and souls”.

  1. Eu quero ouvir a sua história

Empresas tem que contar histórias, e foi nesse momento que Ray Kroc enxergou o propósito maior do pequeno negócio que os irmão Mc Donald´s haviam criado, e que começou apenas a funcionar 30 anos depois. Mas o que nem mesmo os próprios empresários sabiam ainda, é que era apenas o começo. Histórias agregam conhecimento às vidas das pessoas, assim como também agregam valor a marcas e empresas.

  1. Design, sim é muito importante

Os arcos dourados! No momento em que Ray Kroc viu os arcos em um quadro no escritório dos empresários, antes mesmo de se tornar a marca icônica no mundo inteiro, o M estilizado, ele já sabia que esse era o logotipo que traduziria o propósito descrito.  Nesse ponto, o design de marca, e também o design presente em toda a operação, são tão importantes quanto a própria empresa. O design tem que traduzir empiricamente o propósito. E muitas vezes é preciso mudar.

  1. Nada se faz sem planejamento

Em todo o filme, o planejamento se torna algo fundamental e interligado diretamente ao sucesso do MC Donald´s, e isso sempre foi e sempre será assim. O Branding não é somente o Design, ele permeia todo o pensamento estratégico de uma empresa e da reputação e reconhecimento de uma marca. Desde o processo de treinamento na quadra de tênis, a criação do layout interno, o design da marca, de embalagem, da própria marca, da construção da rede de franqueados, da escolha dos Pontos de vendas (PDVs), até a mudança do foco do negócio de franquias para o ramo imobiliário, em todo o filme você encontra o planejamento.

  1. Marca

Ponto alto no final do filme. Depois de longas tentativas frustradas de Ray Kroc em convencer os irmãos Mc Donald´s sobre as possibilidades de expansão do negócio e alterações para ampliar a eficiência do modelo de franquias, ele revela a um dos criadores do modelo de atendimento baseado na velocidade, que o ponto que foi marcante na sua convicção em seguir em frente, foi a marca (isso acontece na cena do banheiro após assinatura da venda do negócio). A marca Mc Donald´s trazia consigo todos os atributos para conquistar a América e o mundo com a American Food.

*Viviane Camargo. Diretora da Aurora Branding.

SOBRE O AUTOR

Leitor-Articulista

Leitor-Articulista

Espaço aberto para a veiculação de artigos produzidos pelos usuários do Portal Comunique-se. Para ter seu conteúdo avaliado pela redação, com possibilidade de ser publicado na seção 'Opinião', envie e-mail para jornalismo@comunique-se.com.br, com “Leitor-articulista” no assunto.

1 COMENTÁRIO

COMENTAR