COMUNICAÇÃO

Censura? Sindicato denuncia veto da EBC na cobertura do caso Marielle Franco

merielle franco ebc censura cobertura
Jornalistas da EBC se manifestaram contra veto na cobertura do caso Marielle Franco (Imagem: Divulgação)

O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal denunciou a restrição da EBC com relação à cobertura do caso Marielle Franco e Anderson Gomes

Na tarde desta terça-feira, 20, o Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal publicou no Facebook denúncia contra a Empresa Brasil de Comunicação, que criou restrição para a cobertura do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. A entidade veiculou foto dos profissionais da EBC em ato contra a censura.

Segundo as informações do Sindicato, os chefes da Agência Brasil orientaram editores e repórteres a não cobrir os atos em decorrência do episódio. Após a medida, o time de profissionais da imprensa se reuniu para questionar o veto à cobertura, que é reduzida apenas às investigações.

Jornalistas e radialistas da EBC fazem ato contra restrição da cobertura da morte de Marielle Franco e Anderson…

Publicado por Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal em Terça-feira, 20 de março de 2018

A fan page Comissão de Empregados da EBC também falou sobre o assunto e relatou a situação. No post, eles contam que as chefias “orientaram a não cobrir mais os atos alegando que eles seriam uma ‘exploração política’, censurando manifestações legítimas e importantes”.

Jornalistas e radialistas da Empresa Brasil de Comunicação protestam contra restrição da cobertura do assassinato de…

Publicado por Comissão de Empregados da EBC em Terça-feira, 20 de março de 2018

Em resposta ao contato da reportagem do Portal Comunique-se, a EBC disse que foi surpreendida com a informação de que houve orientação na Agência Brasil para reduzir a cobertura dos assassinatos de Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes. “O assunto tem sido amplamente coberto por todos os veículos da EBC. Só a Agência Brasil produziu, do dia 14 de março até 12h09 desta terça-feira, 20, 41 reportagens, seis galerias de imagens, uma reportagem em inglês e duas em espanhol sobre os assassinatos”, descreve.

A EBC afirma que a orientação repassada pela gerência da Agência Brasil “contraria a determinação do comando editorial da empresa de sempre pautar seus veículos pela melhor prática do jornalismo. Seus profissionais devem cobrir todos os temas da agenda nacional, como o caso Marielle, noticiando os fatos do dia a dia”.

Na nota enviada ao Portal Comunique-se, a Empresa Brasil de Comunicação diz que, em razão do ocorrido, o responsável pelo veto foi formalmente advertido, e a direção enviou comunicado a todos os seus empregados reforçando a premissa editorial da empresa.

A vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes foram mortos a tiros dentro de um carro na Rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, na Região Central do Rio, por volta das 21h30 da última quarta-feira, 14. A assessora de Marielle, foi atingida por estilhaços. A Delegacia de Homicídios investiga o caso e trabalha com a linha de execução.

SOBRE O AUTOR

Nathália Carvalho

Nathália Carvalho

Jornalista com dez anos de experiência em reportagem. Especializada na cobertura do mercado de comunicação, bastidores do jornalismo, marketing, publicidade e propaganda. Graduada pela Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação e pós-graduada em Cinema, Vídeo e Fotografia: Criação em Multimeios na Universidade Anhembi Morumbi.

COMENTAR

COMENTAR