COMUNICAÇÃO

Corpo do cineasta Nelson Pereira dos Santos é velado na ABL

Nelson Pereira dos Santos
Morreu no Rio de Janeiro o cineasta Nelson Pereira dos Santos (Imagem: Divulgação)

Nascido em São Paulo, em 22 de outubro de 1928, Nelson Pereira dos Santos era bacharel em direito, formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, além de diretor, foi produtor, roteirista, montador e ator

O velório do cineasta Nelson Pereira dos Santos foi marcado para esta segunda-feira, 23, feriado de São Jorge no Rio de Janeiro. A despedida será na Sala dos Poetas Românticos, do Petit Trianon, na Academia Brasileira de Letras (ABL).

O corpo cheguou à ABL de manhã e o sepultamento será no Mausoléu da academia, no Cemitério São João Batista, às 15h.

Nelson Pereira dos Santos morreu na tarde de sexta-feira, 21, de pneumonia. Ele estava internado na unidade de terapia intensiva (UTI)  do Hospital Samaritano, em Botafogo, desde o último dia 12.

Ocupante da Cadeira número 7 da ABL desde 2006, o cineasta deixa a viúva Ivelise, quatro filhos, Nelson, Ney, Márcia e Diogo, e quatro netos, Thalita, Mila, Bruno e Carolina.

O presidente da academia, Marco Lucchesi, determinou o cumprimento de luto de três dias, com a bandeira hasteada a meio-mastro.

Nascido em São Paulo, em 22 de outubro de 1928, Nelson Pereira dos Santos era bacharel em direito, formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Além de diretor, foi produtor, roteirista, montador e ator.

Diretor do filme “Rio 40 Graus”, era considerado um dos mais importantes cineastas do país. Seu filme Vidas Secas, baseado na obra de Graciliano Ramos, é um dos longa-metragem brasileiros mais premiados em todos os tempos, sendo reconhecido como obra-prima.

Nelson Pereira dos Santos foi um dos precursores do Cinema Novo e fundador do curso de graduação em cina da Universidade Federal Fluminense.

SOBRE O AUTOR

Agência Brasil

Agência Brasil

Agência pública de notícias criada em 1989, logo após a incorporação da Empresa Brasileira de Notícias (EBN) pela extinta Empresa Brasileira de Comunicação (Radiobras). Em 2007, com a criação da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que incorporou a Radiobras, passou a integrar o sistema público de comunicação.

COMENTAR

COMENTAR