OPINIÃO

Dá para fazer sucesso roubando conteúdo?

yesterday - conteúdo - paulo silvestre
(Imagem: divulgação)

Dá para fazer sucesso roubando conteúdo? É o que pergunta o jornalista e professor Paulo Silvestre em mais um artigo para o Portal Comunique-se

Dá para fazer sucesso roubando conteúdo?

Claro que dá!

No último fim de semana, fui assistir a “Yesterday” (Reino Unido, 2019), um delicioso filme que conta a história de Jack Malik (Himesh Patel, na foto), um músico talentoso, porém fracassado. Após um acidente, acorda em um mundo em que os Beatles nunca existiram, e ninguém conhece suas músicas. O músico decide então gravar as obras do quarteto de Liverpool como se fossem suas, o que lhe garante um estrondoso e instantâneo sucesso global.

Leia mais:

Isso tem um custo ético. Sem dar spoiler, Malik toma uma difícil decisão ao final da história. Depois do filme, ouvi de várias pessoas que deixavam a sala: “você teria feito o mesmo?”.

Meu vídeo de algumas semanas atrás falava sobre Cultura Remix, que permeia nossa vida, e prevê a criação de novas obras culturais a partir da transformação de partes de outras já existentes. É legítima!

Mas há outra coisa que muito se vê por aí: o roubo puro e simples de conteúdo. E isso é crime!

Precisamos apoiar quem produz material de qualidade, e combater quem simplesmente se apropria indevidamente do que é dos outros.

“Mas há outra coisa que muito se vê por aí: o roubo puro e simples de conteúdo. E isso é crime!”

Quanto a “Yesterday”, o filme, se você gosta dos Beatles, tem que ver! Se não gosta, veja também, pois é uma belíssima história.

#Yesterday #Beatles #música #cinema #CulturaRemix #PauloSilvestre

Tags

SOBRE O AUTOR

Paulo Silvestre

Paulo Silvestre

Consultor, palestrante e professor de mídia e cultura digital. Jornalista apaixonado por tecnologia, está online desde 1987 e trabalha com comunicação digital desde 1995, quando ajudou a colocar a Folha de S. Paulo na internet. Atuou no UOL, AOL, Abril, Estadão, Microsoft, Samsung e Saraiva. Ministra cursos de pós-graduação no Mackenzie, PUC-SP, ESPM, Metodista e Senac-SP. Foi eleito como um dos brasileiros mais influentes do LinkedIn pelo prêmio Top Voices. Nessa rede, é o terceiro com mais seguidores (atualmente mais de 500 mil).

COMENTAR

COMENTAR

Prêmio Comunique-se