COMUNICAÇÃO

Jornalista da Record TV é sequestrado e encontrado com braços quebrados em Roraima

Romano dos Anjos

Esta semana, um jornalista da Record TV foi vítima de sequestro. O fato aconteceu em Boa Vista (RR), com Romano dos Anjos, apresentador do programa ‘Mete Bronca’, da filial da emissora no Estado. Na terça-feira (27), ele foi encontrado com vida, mas teve os braços quebrados pelos sequestradores. Até o momento, ele segue hospitalizado.

O crime aconteceu na noite de segunda-feira (26), quando Romano jantava com sua família e três homens encapuzados invadiram sua residência. De acordo com a Polícia Militar, a invasão teria sido feita em busca de dinheiro. O jornalista, no entanto, foi levado em seu próprio carro até a área rural da cidade, onde foi deixado com os braços e pernas amarrados.

O programa ‘Mete Bronca’, apresentado por Romano dos Anjos, é considerado um dos mais populares do segmento policial no Estado. Nele, são apresentadas denúncias de crimes como corrupção e desvio de dinheiro. Uma das suspeitas é que o crime tenha relação com algum tema abordado no programa.

Leia mais:

Conselho de um legendário revisor de textos – por Edson de Oliveira
Como trabalhar junto com RH e a área de segurança?

Em resposta ao acontecimento, associações ligadas à profissão se manifestaram em nota de repúdio. A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Roraima (Sinjoper) pediram o esforço do governo estadual de Roraima nas investigações sobre o caso.

Além deles, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) publicaram uma nota na qual “pedem providências imediatas às autoridades locais e federais para o esclarecimento do caso e uma rigorosa apuração dos fatos”.

Além da mídia e das entidades policiais, o caso com Romano chegou também à política. De acordo com matéria do jornal O Globo, o senador Telmário Mota (PROS-RR) afirmou que o jornalista foi ‘vítima de suas próprias palavras’. A declaração foi feita em áudio de WhatsApp ao qual o jornal teve acesso.