OPINIÃO

O jornalismo acabou? – por Vinícius Dônola

jornalismo - vinícius dônola - fim - the end
(Imagem: reprodução)

Assunto foi debatido em conversa de Vinícius Dônola, parceiro de conteúdo do Portal Comunique-se, e Ana Paula Padrão

Durante uma live com Ana Paula Padrão, falei sobre a necessidade de produção de jornalismo de qualidade, sobretudo, num ambiente de pandemia e profusão de fake news.

Leia mais:

→ População deve redobrar atenção com fake news
→ A assessoria de imprensa e os dados
→ Vertical ou horizontal – por Heródoto Barbeiro

Também antecipei informações sobre o lançamento do meu curso, previsto para o dia 7 de abril, Dia do Jornalista.

Assista ao vídeo sobre jornalismo:

Obrigado por assistir a esse vídeo! Espero que esse conteúdo tenha sido útil para você e para a sua carreira. Falar sobre o mundo do telejornalismo é, para mim, algo fascinante. Eu adoraria ouvir o seu comentário a respeito do que achou desse e dos meus outros vídeos. Seus comentários pautam o meu canal, então vamos conversar!

***** ****** ***** ***** *****

Livro

Conheça os bastidores da minha carreira no livro Histórias das Histórias que Contei. A obra, que está disponível nas versões física e e-book, foi editada pela Intrínseca.

Apresentação do livro

Vinícius Dônola é a cara e a voz que o grande público conhece por suas reportagens de televisão, transmitidas pelas principais emissoras do país. Histórias das histórias que contei narra os bastidores de uma breve seleção das mais de mil matérias que o jornalista apresentou ao longo de sua carreira. No livro, Dônola relembra casos marcantes, como a premiada denúncia sobre a execução de um fugitivo pela polícia, à luz do dia, em frente a um movimentado shopping do Rio de Janeiro na década de 1990. Ou quando, ao se debruçar sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, descobriu que a arma utilizada no crime era diferente da considerada inicialmente pela investigação.

Ao relembrar alguns de seus trabalhos mais marcantes, Dônola presenteia seus telespectadores – agora leitores – com os bastidores de uma profissão que, em nome do compromisso com a informação, muitas vezes expõe seus profissionais a situações limite, ao mesmo tempo que possibilita salientar casos que passariam despercebidos sem o olhar jornalístico. No livro, Dônola também não se furta a expressar seu envolvimento pessoal com as matérias. Histórias das histórias que contei é para todos que algum dia tiveram curiosidade de saber como é estar na pele de um jornalista e para aqueles que sonham em um dia ocupar papel de destaque nas redações de notícias do país.

SOBRE O AUTOR

avatar

Vinícius Dônola

Jornalista, 50 anos. É a cara e a voz que o grande público conhece por suas reportagens de televisão, transmitidas pelas principais emissoras do país.

Foi repórter especial da TV Globo, onde trabalhou para os programas 'Globo Repórter', 'Jornal Nacional' e 'Fantástico'. Na Record TV, foi correspondente em Nova York, repórter especial do 'Jornal da Record' e apresentador do 'Domingo Espetacular'. Ao longo de sua carreira, foi contemplado com o Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo e o Prêmio Vladimir Herzog, concedido anualmente a profissionais e veículos de comunicação que se destacaram na defesa da cidadania e dos direitos humanos e sociais.

COMENTAR

COMENTAR