CARREIRA

Prêmio jornalístico da Cruz Vermelha tem nova edição

cruz vermelha - Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional
(Imagem: divulgação)

Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional chega à terceira edição. Organizado pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha, projeto recebe inscrições até 1º de agosto

Jornalistas brasileiros voltados a produzir pautas humanitárias têm a chance de participar de mais uma premiação. O país recebe a terceira edição do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional. A disputa, que é organizada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha, está com inscrições abertas, com interessados podendo participar até 1º de agosto.

Confira:

Com o objetivo de incentivar a produção de conteúdo jornalístico referente a questões humanitárias, os organizadores do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional avisam: a equipe vencedora ganhará viagem a um contexto operacional da Cruz Vermelha. O segundo e o terceiro colocados ganharão valor em dinheiro. Para ter chance de ser contemplado, o trabalho precisa ter sido veiculada na imprensa brasileira de 1º de agosto de 2018 a 31 de julho deste ano.

A equipe da Cruz Vermelha informa que os tipos de pautas aptas a concorrer à premiação. Com isso, são aceitas reportagens produzidas para impresso, rádio, internet e televisão que abordem conflitos armados. normas do Direito Internacional Humanitário (regras de guerra), assistência humanitária, migração, refúgio, desaparecimentos em situações de conflitos, ataques a missões médicas e violência sexual.

Papel importantíssimo

“O jornalismo, cujo papel é importantíssimo na nossa sociedade, tem uma enorme responsabilidade de visibilizar o drama humano por trás dos conflitos armados, da violência armada e outras crises humanitárias que afetam o mundo hoje”. É o que afirma a chefe da delegação do CICV para o Cone Sul, Simone Casabianca-Aeschlimann. Outras informações sobre o prêmio e o regulamento estão disponíveis no site da Cruz Vermelha.

SOBRE O AUTOR

Anderson Scardoelli

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR

Prêmio Comunique-se