COMUNICAÇÃO

O pau quebrou e agora eles vão se reencontrar. Relembre o caso Garraffa x Mancini

Mancini

Discussão, vazamento de áudio e repercussão em veículos de notícias. Há três anos, esse era o cenário que envolvia o jornalista esportivo do grupo Bandeirantes, Felipe Garraffa, e o treinador de futebol, Vagner Mancini. Agora, os dois se encontrarão novamente, em uma situação inusitada: Mancini está treinando o Corinthians, time adversário na partida que originou a polêmica. Pensando nisso, recordamos toda a história entre os dois nos parágrafos seguintes.

Tudo começou com a coletiva de imprensa após a partida entre os times Vitória e Corinthians, em agosto de 2017. Na ocasião, o time baiano acabava de vencer o paulista por 1 a 0 e Felipe Garraffa questionou o técnico sobre a posse de bola e o número de finalizações do Vitória no jogo. O problema? Os dados usados pelo jornalista para embasar o questionamento.

De acordo com ele, o time teria apenas 20% de posse de bola e uma finalização em toda a partida. A informação irritou Mancini, que afirmou estarem incorretas, enumerou as chances de gol do time e alegou que o jornalista havia sido imparcial. “Você estava no estádio? Você assistiu ao jogo?”, questionou.

Leia mais:

JR Franquias estreia com quatro programas de entrevistas
O frútil e as brincadeiras de criança – Por Marli Gonçalves

Durante a resposta do treinador, Garraffa o interrompeu defender o seu ponto de vista e as informações apresentadas. O jornalista também respondeu, dando continuidade ao atrito entre os dois. “Não, eu sou jornalista. Você pode contestar os números que eu tenho”.

Finalizando a entrevista, Mancini criticou ainda a falta de valorização de times de outras regiões do país pela imprensa de São Paulo. “Vocês, da imprensa de São Paulo, têm que olhar um pouquinho diferente para todo mundo, por que o Brasil é muito grande”, afirmou.

Horas depois, mais um desdobramento deu continuidade à briga. Um áudio do treinador vazou na mídia, no qual ele se zombava da discussão com o ‘repórter corintiano’. “Ganhar do Corinthians é ótimo, somar três pontos, nem se fala, mas dar uma patada em jornalista babaca, corintiano, então, nem se fala”, declarou.

Acordo de paz

O áudio, ofensivo ao jornalista, se tornou também o motivo da paz entre os dois. Com a repercussão de suas palavras, o treinador emitiu uma nota oficial de desculpas a Felipe Garraffa, ao Corinthians e à torcida do time paulista. No texto, ele afirmava não ter a intenção de ofender a nenhuma das partes e que já teria ligado ao repórter para se desculpar.

“Tanto fiz questão de ligar para o jornalista Felipe Garraffa e me desculpar pelo que foi dito no áudio vazado. Respeito muito o trabalho da imprensa. Errar é o do jogo. Acredito que ele errou ao me indagar com informações equivocadas, e eu errei no modo como me referi ao jornalista no áudio. Espero que o Garraffa siga uma bela carreira no jornalismo, profissão tão relevante no País”, explicou.

Poucos dias depois de toda a polêmica, a paz entre os dois foi selada. Eles participaram do programa de rádio Esporte em Debate, do jornalista Elia Jr., lembraram o acontecimento e reforçaram o pedido de desculpas a Garraffa, feito por ligação, que foi chamado por Mancini de um “papo agradável”.

Desde então, os dois não protagonizaram nenhuma polêmica, mas, com o novo posto assumido por Vagner Mancini, curiosamente no time adversário da partida que originou o atrito com Garraffa, qual será o clima entre os dois?