ESPECIAIS

YouTube, um lugar para consumir (e produzir) jornalismo

YouTube - Mara Luquet - Paula Miraglia - jornalismo - MyNews - Nexo Jornal
(Imagem: Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images)

Plataforma dá voz às executivas que ajudam a comandar dois projetos que, entre outros canais, utilizam o YouTube como meio de produção de jornalismo: MyNews e Nexo Jornal. À rede, Mara Luquet e Paula Miraglia falam de seus trabalhos e do momento da imprensa

Ambiente onde se é possível buscar (e encontrar) informações, reportagens, opiniões sobre diversos assuntos e diferentes pontos de vista. Com o propósito de se colocar como espaço que instiga a distribuição e produção de conteúdos jornalísticos, o YouTube apresenta um bate-papo com duas entusiastas da plataforma. Vídeo divulgado pela rede social nesta quarta-feira, 11, mostra a cofundadora do site Nexo Jornal, Paula Miraglia, conversando com Mara Luquet, que é cofundadora e sócia de outro projeto de jornalismo online, o MyNews.

Leia mais:

Mara Luquet enaltece, no vídeo produzido pelo YouTube, que se inspirou em projeto que conta com seu sócio, o comediante Antonio Tabet, na hora de estruturar um formato de jornalismo nativo da internet. “Minha inspiração é o Porta dos Fundos. Sempre pensei: quero fazer no jornalismo o que os meninos do Porta fizeram no humor”, comenta a comunicadora. “Eles eram roteiristas da TV Globo, saíram e montaram o Porta e tiveram enorme sucesso. Levaram qualidade, gente profissional”, pontua a jornalista que percorreu o mesmo caminho. Em agosto de 2017, ela deixou a emissora depois de quase 10 anos de parceria e, meses mais tarde, deu vida ao MyNews.

Indicada ao Prêmio Comunique-se em 2019 em três categorias, Mara Luquet critica a visão de colegas da imprensa tradicional que enxergam as novas tecnologias como rivais, não aliadas. Ela destaca que só pode dizer que é dona de um canal graças aos avanços tecnológicos e ao acesso ao YouTube. “A tecnologia entrega os meios de produção para um jornalista”, diz a cofundadora do projeto que conta com mais de 280 mil inscritos na plataforma de vídeos do Google. Atualmente, o MyNews, feito uma emissora de TV moderna, possui grade de programação fixa, inclusive tendo combo de novidades no último mês.

Mais que noticiar, explicar!

No bate-papo promovido pelo YouTube, Mara Luquet revela que foi uma das primeiras assinantes do Nexo Jornal. O site está no ar desde meados de 2015, tendo surgido a partir da sociedade do jornalista Conrado Corsalette (vencedor do Prêmio Comunique-se 2018 na categoria ‘Jornalista Empreendedor’) com Renata Rizzi e Paula Miraglia. Desde o princípio, o projeto se propõe a ir além da cobertura factual. A ideia é sempre contextualizar os principais acontecimentos para o público. E tem dado certo. Segundo o próprio veículo de comunicação, a redação em São Paulo é composta por mais de 30 profissionais.

“A gente percebia que tinha um lugar no Brasil para um jornalismo de contexto, de explicação. Um jornalismo que apostasse muito no equilíbrio”, relembra Paula Miraglia, que não é jornalista por formação. Responsável por ser a diretora-presidente (ou CEO) do Nexo Jornal, ela é doutora em filosofia e antropologia pela Universidade de São Paulo (USP). “[Temos] esse desejo de fazer no Nexo um jornalismo transformador, que contribua para o debate público e que ajude a construir a democracia no Brasil”, diz a antropóloga e empresária de comunicação. “[Vimos] a oportunidade fazer algo novo 100% digital. O que é muito desafiador”, complementa a executiva do projeto que, além de site, tem canal no YouTube com mais de 210 mil inscritos.

Assista ao bate-papo na íntegra:

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR