ESPECIAIS

11 apostas para o jornalismo em 2020

jornalismo - apostas
Quais as apostas para o jornalismo em 2020? (Imagem: Canva.com)

O que ocorrerá no jornalismo brasileiro neste novo ano? Editor do Portal Comunique-se, Anderson Scardoelli registra em vídeo suas 11 apostas para o meio ao decorrer do ano. Ele acredita em aposentadoria de locutor esportivo, encerramentos de projetos e coloca até casamento em pauta

Apostas para o jornalismo

Fim do Vortex Media

Site criado por Diego Escosteguy, o Vortex Media deve acabar de vez ao decorrer dos primeiros meses de 2020. Da empolgação do lançamento, que estreou em outubro tendo redação composta por 30 profissionais, à debandada equipe, o projeto de jornalismo “em movimento” chegou em dezembro de 2019 com apenas três profissionais. Além do dono, o veículo online conta, ainda, com colaborações de Leandro Loyola e Marcelo Rocha. A cachorrinha Pagu, que aparecia no expediente como “mascote-chefe” completa o time que segue na empresa — que desde o início do mês passado já não atualiza suas contas no Facebook e Twitter.

apostas - pagu - vortex media
Pagu, a cachorrinha de Diego Escosteguy, segue como “mascote-chefe”, site que segue no ar sem editores e com apenas dois repórteres. (Imagem: reprodução/Vortex Media/Vimeo)

Descontinuação de projetos de podcast

Há bons projetos de podcast ativos no país, como o ‘45 do Primeiro Tempo‘ de Patrick Santos & Jovem Pan. Por outro lado, há o boom de todo mundo agora querer se posicionar como podcaster. Parece que a produção de conteúdo em áudio no online se transformou em que, determinado momento, ocorreu com blogs. Sem estratégia e público-alvo bem definidos, a tendência é que alguns projetos de podcast sejam descontinuados neste ano — e isso levando em consideração a chamada grande imprensa. O UOL, por exemplo, chegou a demitir profissionais envolvidos em podcast em 2019 — e só voltou a investir no formato após a Rede Globo e o G1 lançarem suas próprias programações.

Extinção de mais um jornal impresso

Nos últimos anos, tem sido comum noticiar o encerramento de algum jornal impresso. Seja fim de vez das atividades ou foco 100% no noticiário online. Essa movimentação deve seguir em 2020. Ao menos mais um tradicional veículo do país deixará de investir na versão em papel.

O ‘Se Joga’ sairá do ar

Apresentado pela jornalista Fernanda Gentil, sempre na companhia da atriz Fabiana Karla e do ator Érico Brás, o programa que faz a audiência “se jogar” para a concorrência, sobretudo para a Record TV. Apesar de recentes vitórias no confronto direto com o canal de Edir Macedo, o ‘Se Joga’ não conseguiu agradar o público. Com isso, deve deixar o ar logo menos.

Da Globo para o YouTube

Como tem ocorrido em casos recentes, como Cris Dias e William Waack, algum apresentador ou repórter investirá na plataforma de vídeos do Google após deixar a Rede Globo.  Só não é possível afirmar, ainda, se tal trabalho terá vida longa, como o ‘Pilhado‘ de Thiago Asmar, ou se será descontinuado em pouco tempo.

Aposentadoria do Galvão

Depois de sofrer um infarto às vésperas da transmissão da final da Taça Libertadores de 2019, Galvão Bueno deverá seguir nova trajetória profissional dentro da plataforma de esportes da Globo (TV aberta, SporTV e Globoesporte.com). A aposta é que ele deixe de vez a função de locutor esportivo em 2020. Com isso, ele será mais utilizado como apresentador e comentarista esporádico de atrações da casa. Em contrapartida, a empresa não trabalhará mais com a figura de um narrador principal. Na Globo, Cleber Machado e Luís Roberto serão os cabeças. O mesmo ocorrerá com Milton Leite e Luiz Carlos Jr. no SporTV. Gustavo Villani seguirá como espécie de volante, atuando nos dois canais.

CNN Brasil seguirá contratando

Com previsão de entrar no ar neste primeiro semestre de 2020, a CNN Brasil ainda contratará mais jornalistas ao decorrer dos próximos meses. A aposta é a de que a futura emissora de notícias se reforçará com mais profissionais vindos de emissoras como Globo, GloboNews, SBT, Band, Record e Rede TV. Comunicadores atuantes em outras mídias, como rádio e internet, também deverão ser recrutados pelo projeto de jornalismo.

Sikera Jr. fará sucesso na Rede TV

Goste-se ou não de seu estilo e do tipo de programa que comanda, Sikera Jr. já é sinônimo de sucesso nas redes sociais e na televisão. Apresentador da TV A Crítica, ele é líder de audiência em Manaus. Contratado pela Rede TV, com estreia prevista ainda para janeiro, ele tende a alavancar a audiência do jornalismo da emissora. Com o novo desafio profissional, ele aparecerá para o Brasil inteiro, com atração a ser exibida no fim de tarde.

Cássio Bruno vai se destacar na Veja

Com anos de carreira construindo fontes e produzindo conteúdos de qualidade, Cássio Bruno se tornou em um dos profissionais mais bem informados sobre os bastidores do poder carioca e fluminense. Com experiências em O Globo e, mais recentemente, em O Dia, ele chega a 2020 como o mais novo repórter de política da sucursal da revista Veja no Rio de Janeiro. E deve se destacar positivamente no novo trabalho no jornalismo.

A volta do registro profissional

Cassada em media provisória do presidente Jair Bolsonaro, a obrigatoriedade do registro profissional para jornalistas voltará — por meio do Congresso — à ativa no Brasil ao decorrer dos próximos meses. Isso não fará, contudo, que o mercado de jornalismo volte a crescer.

A jornalista mais linda do mundo vai…

A jornalista mais linda do mundo vai se casar! Raquel Rodrigues — que foi produtora e repórter da Rádio Globo e nos últimos tempos atuou com comunicação corporativa na Ricardo Viveiros e na Pró-Saúde — vai se casar em 2020. Sorte deste editor aqui! 🙂

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR