ESPECIAIS

450 comunicadores buscam se eleger neste ano

urna eletronica - agencia brasil - comunicadores - eleger
(Imagem: Agência Brasil)

Comunicadores tentam, sobretudo, alcançar postos no poder Legislativo. São 450 profissionais da imprensa que buscam se eleger no pleito de outubro. 338 candidatos estão registrados como “Jornalista e Redator”. Outros 112 aparecem que têm a ocupação de “Locutor e Comentarista de Rádio e Televisão e Radialista”

Profissional com passagens por veículos de mídia do Paraná, Veja e Jovem Pan, Joice Hasselmann busca ocupar uma das 55 cadeiras reservadas ao estado de São Paulo na Câmara dos Deputados. Filiada ao PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, ela, que conta com mais de 1,4 milhão de fãs no Facebook e 800 mil inscritos em seu projeto no YouTube, não será a única personalidade da imprensa a tentar se eleger no pleito de 7 de outubro. Além da jornalista paranaense-paulista, outros 449 comunicadores estarão presentes nas urnas da eleição deste ano.

A afirmação é possível com base em dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Isso porque ao registrar candidatura, os postulantes a cargos públicos têm por obrigação informar qual a sua ocupação. No campo de comunicadores, a definição pode se dar de duas formas: “Jornalista e Redator” ou “Locutor e Comentarista de Rádio e Televisão e Radialista”. A primeira divisão conta com 338 candidatos. A segunda, por sua vez, apresenta 112 registros.

Deputado estadual é o cargo que mais atrai comunicadores nas eleições de 2018. São exatamente 200 candidatos que se registraram como “Jornalista e Redator”. Apenas em São Paulo são 38 profissionais da imprensa que buscam atuar na Assembleia Legislativa paulista a partir do ano que bem. O estado, porém, é superado na parte da locutor/radialista por Rio Grande do Sul e Espírito Santo: são oito representantes gaúchos e capixabas contra sete paulistas.

joice hasselmann - comunicadores - eleger
A jornalista Joice Hasselmann quer se tornar deputada federal (Imagem: divulgação)

De olho na Câmara

Depois de ouvirmos falar em bancada evangélica, ruralista e outras temáticas, poderemos contar na próxima legislatura com deputados federais que são oriundos da comunicação social. O TSE conta com 123 jornalistas e 19 radialistas candidatos a um dos lugares da Câmara Federal. Novamente, São Paulo aparece na ponta, com 33 jornalistas e quatro radialistas ou locutores.

Senadores e suplentes

Ainda no âmbito do Legislativo, a bancada de comunicadores no Senado também pode ser impulsionada a partir de 2019. Entre jornalistas e radialistas há cinco candidatos a segunda suplência de senador, enquanto outros quatro formam chapas ocupando a vez de primeiro suplente. Para o posto titular da “Câmara Alta” não há ninguém registrado como  “Locutor e Comentarista de Rádio e Televisão e Radialista”. Por outro lado, cinco jornalistas querem se tornar senadores da República:

  • Rondinely Fonseca – PSOL do Amazonas;
  • Chico Sant’Anna – PSOL do Distrito Federal;
  • Carlos Viana – PHS de Minas Gerais;
  • Úrsula Vidal – PSOL do Pará;
  • Marcos Rogério – DEM de Rondônia

Governadores e vices

No Executivo, o número de comunicadores candidatos cai drasticamente quando comparado com os postulantes a uma das vertentes do Legislativo. Não há, por exemplo, ninguém que briga pela presidência ou vice-presidência da República cadastrado junto ao TSE nessa condição. De todas as 27 unidades federativas do país, apenas três contam com jornalistas que buscam se eleger governadores:

  • Wilson Miranda – PSC do Amazonas;
  • Jairo Jorge – PDT do Rio Grande do Sul;
  • Leonel Camasão – PSOL de Santa Catarina

Há, ainda, uma candidata a vice-governadora: Anaterra Viana, do PT do Paraná. Da parte de radialistas e locutores, só um estado conta com representante na corrida eleitoral — e trata-se de um político que já tentou se tornar presidente da República:

  • Anthony Garotinho – PRP do Rio de Janeiro
anthony garotinho - comunicadores - eleger
Em todo o Brasil, Anthony Garotinho é o único radialista que concorre a governador (Imagem: divulgação)

Número poderia ser maior

A curiosidade final é que a quantidade de jornalistas e radialistas candidatos poderia ser ainda maior. Isso porque, entre outros casos, o reconhecido cronista esportivo Jorge Kajuru se registrou como “jornaleiro”. Ele tenta se eleger senador pelo PRP de Goiás. De acordo com a pesquisa Ibope desta semana, o ex-apresentador de Band, Rede TV e SBT aparece disputando as primeiras posições do pleito. Analista política que fez carreira na RBS, Ana Amélia Lemos, do PP do Rio Grande do Sul, é a vice do tucano Geraldo Alckmin. Ela, entretanto, figura tendo ocupação de “senadora”. Também do estado gaúcho, a vice do petista Fernando Haddad, Manuela D’avila (PCdoB), aparece como “deputada”, mesmo tendo formação acadêmica em comunicação social.

Os comunicadores nas eleições de 2018 - eleger - jornalistas - radialistas
(Arte: Anderson Scardoelli)

SOBRE O AUTOR

Anderson Scardoelli

Anderson Scardoelli

Jornalista, 28 anos. Formado pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e pós-graduado em jornalismo digital pela ESPM. Há nove anos no Grupo Comunique-se, onde idealizou os projetos 'Correspondente Universitário' e 'Leitor-Articulista'. Na empresa, já atuou como freelancer (inserção de conteúdo), estagiário de pesquisa, estagiário de redação, trainee de redação, subeditor e editor-júnior. É, desde maio de 2016, o editor responsável pelo Portal Comunique-se e pelo conteúdo do Prêmio Comunique-se.

6 Comentários

COMENTAR