OPINIÃO

[Análise] CNN Brasil estreia com destaque para o jornalismo online

cnn brasil - multiplataforma - redes sociais
(Imagem: divulgação)

Marca estreia mostrando interesse em ser mais do que uma emissora de notícias na televisão

Site da CNN Brasil entra no ar com direito a reportagens densas, integração com conteúdo exibido na TV e parceria com a Reuters

Diferentemente do que tem se noticiado, a estreia oficial da CNN Brasil não ocorreu às 20h de domingo, 15. Nesse horário, o projeto deu início às atividades apenas em um dos meios que utilizará para produção de conteúdo noticioso. Além de marcar presença no canal 577 nas principais operadoras de TV por assinatura, a empresa mostra que chega ao país com olhar multiplataforma. Nesse sentido, a marca surgiu primeiro na internet, com site ativo desde às 18h. Atividade que já traz destaques no jornalismo online.

cnn brasil - multiplataforma - jornalismo online - antes da tv
(Imagem: divulgação)

Como não poderia ser diferente, o coronavírus vem pautando boa parte do trabalho do site da CNN Brasil. Conteúdos mostram, inclusive, o núcleo de jornalismo online já está em ação há dias. A dupla Jéssica Otoboni e Anna Satie, da redação em São Paulo, assinam o o didático conteúdo sobre “o que é fake news e o que é verdade sobre a transmissão da doença”. Apesar do CNNBrasil.com.br estar aberto para o público desde o fim da tarde de domingo, o material foi publicado originalmente em 9 de março. Fora o tom educacional, a reportagem preza — nitidamente — por preceitos de SEO. Conta com intertítulos, prioriza frases curtas e faz uso de hiperlinks (inclusive para páginas externas, o que é vetado em certos portais).

Leia mais:

Mas nem só de notícias sobre coronavírus vive o jornalismo online da CNN Brasil. O site, claramente pensado no conceito mobile first, está organizado em 10 grandes editorias:

  1. Política;
  2. Nacional;
  3. Business;
  4. Internacional;
  5. Saúde;
  6. Tecnologia;
  7. Esporte;
  8. Entretenimento;
  9. Estilo;
  10. Viagem.

Todas as seções já apresentam conteúdos especiais e exclusivos. É o caso da reportagem que lista “as principais baixas do governo Bolsonaro” desde a posse do presidente da República, em 1º de janeiro de 2019. Para além de matérias próprias, a parte do jornalismo online vem “conversando” com o que é exibido originalmente na televisão — que, vale destacar, começou com mais comemoração do que informação. Boa parte do que vai para o canal 577 é reproduzido em texto e vídeo na internet. Foi o caso da entrevista com Rodrigo Maia (DEM-RJ). Com crítica aos haters que usam as redes sociais e que “contaminam todo o ambiente”, o presidente da Câmara dos Deputados conversou com William Waack e Thais Herédia.

Além de transcrever conteúdos da TV, o site da CNN Brasil está exibindo, por tempo indeterminado, a programação ao vivo do canal 577

Parcerias e outros tipos de conteúdos

Apesar dos conteúdos exclusivos e da sinergia com a televisão, o site da CNN Brasil conta com parceria com a agência Reuters. Parte do material apresentado pelo portal apresenta, ainda, o chamado “conteúdo pago” oferecido pelo Taboola (materiais geralmente com chamadas sensacionalistas, mas que ajudam a rentabilizar projetos de jornalismo online). No ambiente digital, a “maior do mundo” apresenta podcasts e colunas & blogs. Em sua estreia na web da marca, por exemplo, Daniela Lima destaca que a “elite do Congresso critica Bolsonaro” em relação ao apoio dele às manifestações ocorridas nesse domingo.

Com reportagens próprias, parceria, podcasts e espaço para colunas de opinião e informação, a CNN Brasil mostra que, além de marcar presença na TV por assinatura, vai investir na produção de jornalismo online.

cnn brasil - multiplataforma - jornalismo online - site e mais
Com site estreando antes do canal da TV, CNN Brasil reforça compromisso em ser multiplataforma. (Imagem: divulgação)

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR