COMUNICAÇÃO PODCAST

Estudo de caso: fazendo a empresa aparecer na pandemia

Estudo de caso: fazendo a empresa aparecer na pandemia

A Acesso Digital é uma empresa de tecnologia que faz a biometria facial e a admissão digital das empresas. Não é preciso muito esforço para concluir que, com a pandemia, a demanda cresceu acima da média. A empresa tinha, então, duas opções: atender a demanda em silêncio ou fazer barulho no mercado. É exatamente aí que começa a história deste post.

Fazer barulho não estava no DNA da Acesso Digital até mais ou menos um ano atrás. Sua trajetória é típica de uma start-up de sucesso: usa a inovação para encontrar a solução de um problema novo num mercado novo. Com crescimento exponencial, caminha a passos largos, deixando para trás as incumbentes do mercado. O departamento formal de marketing foi implantado quando a empresa já tinha mais de uma década de vida e uma carteira recheada de clientes de grande porte.

Contratada nessa fase para criar as áreas de comunicação e marketing, a CMO Gabriela Onofre decidiu mostrar para o mercado que a empresa tinha não apenas soluções digitais naquele momento de pandemia — mas tinha capacidade de contribuir também. “Nós nos víamos apenas como uma empresa de tecnologia. Mas, conforme a pandemia, foi se desenrolando, percebemos que não éramos só isso. Podíamos ajudar os outros”, resume Gabriela. A íntegra da conversa com ela, em podcast, está disponível no final deste texto. Ela cita uma série de ações, mas aqui, neste post, vou destacar duas delas.

Ação #1: pesquisa

Em parceria com a Locomotiva e a Cia de Talentos, a Acesso Digital lançou uma pesquisa voltada para profissionais de RH que mostrou alguns aspectos do home office. Por exemplo, 85% das empresas brasileiras tiveram colaboradores trabalhando de casa parcial ou integralmente durante a quarentena. Metade deles já se dizia acostumada ao trabalho remoto quando a pesquisa foi divulgada, no final de junho.

O estudo gerou brand awareness para as empresas envolvidas no estudo, sendo publicado em veículos de grande circulação, como Exame, e em outros especializados no segmento da Acesso Digital (TI), como Computer World. “A pesquisa fez com que nossos clientes virassem cases. Além disso, colocou o nome da nossa empresa na rua”, comemora Gabriela.

Ação #2: apoio

Com tantos profissionais de saúde se mobilizando, a Acesso Digital também ficou motivada a dar a sua contribuição no combate ao Covid-19 entregando aquilo que melhor sabe fazer: tecnologia.

A empresa se tornou parceira do projeto Mães da Favela, encabeçado pela Cufa (Central Única das Favelas), que até 24 de agosto já havia arrecadado mais de R$ 11,9 milhões. O objetivo é levar recursos e cestas básicas para quase 100 mil mães de mais de 5 mil favelas no Brasil.

A Acesso Digital participou ajudando a certificar que não houvesse fraude no processo de doação, garantindo que o dinheiro das cestas básicas digitais saísse do doador e chegasse ao destino certo.

Takeaways

As soluções muitas vezes estão dentro de casa. Existem posturas que uma empresa pode adotar em situações extremas, como uma pandemia como a que acometeu o mundo em 2020.

A primeira postura possível é simplesmente se recolher e se proteger — o que não deixa de ser uma opção compreensível. Afinal, foram centenas de milhares de mortos pelo mundo.

A segunda é aproveitar as soluções que estão prontas dentro de casa e colocá-las na rua, à disposição do mercado e também da sociedade. É neste momento que deve haver uma integração entre marketing, comunicação e as equipes que cuidam da operação — e talvez este seja o grande insight deste case.

É preciso ter energia e timing para que a comunicação cumpra o propósito, mas sem oportunismo. Ou seja, sem pedir nada em troca. A empresa cumpriu essa função ao servir as empresas e a sociedade, posicionando-se como expert. Afinal, se o mundo se torna mais dependente do digital, os especialistas em digital que assumam o protagonismo. Este parece ter sido o enredo dessa narrativa.

Ouça este post

A conversa com Gabriela Onofre foi tema da 249ª edição do Podcast-se, que foi ao ar na mesma data deste post — e que você ouve abaixo.

O Podcast-se é o podcast oficial do Grupo Comunique-se. Está no ar há mais de três anos e já tem mais de 200 episódios no ar. Figura entre os top-10 podcasts de Marketing do Brasil segundo o ranking de audiência do Chartable. Está disponível nas principais plataformas, como Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras.

SOBRE O AUTOR

Cassio Politi

Cassio Politi já foi editor e diretor de conteúdo do Comunique-se, além de ombudsman do Portal. Atualmente, dirige os cursos do C-se e é o responsável pelo Podcast-se, que figura entre os top-10 podcasts de marketing do País de acordo com o Chartable. Escreveu o primeiro livro em português sobre content marketing. Em 2015, foi eleito pela Digitalks o profissional do ano em content marketing no Brasil. É, desde 2014, o único brasileiro a compor o seleto júri do Content Marketing Awards, o principal prêmio do mundo na categoria. Por sua empresa, a Tracto, presta consultoria ou produz conteúdo para empresas de variados portes no Brasil e na América Latina, incluindo multinacionais. Apresentou alguns de seus cases em eventos nos Estados Unidos. Está no Hall da Fama do Content Marketing World, em Cleveland, do qual participa anualmente desde 2012.