Portal Comunique-se

Como ficou o novo Estadão impresso?

Como ficou o novo Estadão impresso
As novidades passam pelo formato, pela configuração de páginas e pelo conteúdo do jornal. (Imagem: divulgação/ Estadão).

Jornal trocou o formato standard pelo berliner.

Compartilhe
clipping-curadoria-2

O Estadão inaugurou, no último domingo, 17, um novo formato para as suas versões impressas. O modelo standard deu lugar ao berliner, seguindo uma tendência internacional, segundo o próprio veículo de comunicação. Mas, para além da mudança estética, outras novidades chegam junto com o novo formato.

Leia mais:

As alterações, já vistas pelo público leitor do noticiário impresso, passam pela configuração interna, nova seção e troca no nome de caderno. Veja, na íntegra, quais serão as principais novidades, segundo comunicado enviado ao Portal Comunique-se:

As mudanças começam já na abertura do jornal, com a Coluna do Estadão agora na página 2. A seção Notas & Informações, com dois editoriais, será mantida na página 3. Dessa maneira, combinam-se bastidores do noticiário político e a Opinião do Estadão. O terceiro editorial passa a ser publicado junto ao noticiário.

De sexta a domingo, a nova seção A Fundo tratará de temas em profundidade, de qualquer área, em formato de grandes reportagens, perfis, entrevistas, infográficos e ensaios fotográficos.

Algumas matérias se tornarão mais analíticas e com abordagem detalhada, o que garantirá ao leitor mais profundidade, indo além das narrativas encontradas nas timelines dos canais digitais. Esses conteúdos serão identificados com destaque, com o selo Estadão Analisa.

O caderno E&N – Economia & Negócios, endereço de coberturas relevantes de macroeconomia, será igualmente reforçado na nova configuração e ganha as peças No seu bolso, com informações sobre os impactos do noticiário para a pessoa física, e Lições para você, com conteúdo útil para o aprimoramento profissional. Já o caderno Metrópole terá uma seção de saúde, além da cobertura de meio ambiente, educação, ciência, segurança pública, urbanismo e assuntos ligados à capital paulista e ao Estado de São Paulo. A editoria Internacional ganha a seção Histórias do Mundo, com curiosidades que acontecem em outros países. O caderno de Esportes mantém a cobertura dos principais campeonatos do País e dos grandes eventos mundiais.

O Caderno2, que na pandemia passou a se chamar Na Quarentena, se transforma no C2 – Cultura & Comportamento e abordará, além dos temas da área cultural (televisão, música, cinema, literatura, streaming, artes visuais e teatro), assuntos como turismo, gastronomia e receitas, compras e serviços, moda, arquitetura e decoração. Para aproveitar ao máximo o fim de semana, o leitor terá o Sextou!, com curadoria em roteiros de cinema, restaurantes, teatro, exposições, programas para crianças e shows.

Aos sábados, será publicado o novo caderno BE – Bem-estar, com conteúdo voltado para auxiliar o leitor a viver mais e melhor: saúde – com foco na prevenção –, alimentação saudável e nutrição, exercícios e saúde mental estarão entre os temas abordados.

O jornal também passa a publicar, diariamente, conteúdos propositivos e inspiradores, na seção Para fechar… Uma Boa História.

Pensado para os leitores

Em comunicado, a empresa destaca que toda a mudança no tradicional veículo impresso foi pensada de acordo com as preferências dos leitores, ressaltando a relação entre o jornal e o seu público.

“O mais importante é a relação do leitor com o Estadão, e ouvindo os clientes, foi possível lançar no mercado um novo produto, que está mais fácil de manusear, mais confortável para ler, com novos cadernos, novas seções e muito mais conteúdos”, aponta o material.

João Caminoto, diretor de jornalismo do Estadão, também comentou o assunto e afirmou que a nova configuração, assim como o novo formato utilizado, são fruto de uma pesquisa que teve como objetivo equilibrar a modernidade e a tradição do jornal.

Série no YouTube

No YouTube, o jornal criou uma playlist de vídeos que destacam as novidades do veículo de comunicação. Os conteúdos ensinam como manusear o novo formato, apresenta as principais mudanças e contam com a participação de colunistas do periódico.

Compartilhe
0
0

Julia Renó

Jornalista, 24 anos. Natural de São José dos Campos (SP), onde vive atualmente, após temporadas em Campo Grande (MS). Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (MS), pós-graduanda em Jornalismo Investigativo pela Universidade Anhembi Morumbi e voluntária da ONG Fraternidade sem Fronteiras, integra o time de jornalistas do Grupo Comunique-se desde julho de 2020.

Megalive do Prêmio Comunique-se 2021

Prêmio Comunique-se

Patrocinadores Ouro

Patrocinadores Ouro



Patrocinadores Prata

Patrocinadores Prata



Patrocinadores Bronze

Patrocinadores Prata