ESPECIAIS

Liberdade de Imprensa: “tempo de desinformação”

dia mundial da liberdade de imprensa - capa
(Imagem: reprodução)

A data de 3 de maio serve para celebrar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Neste ano, tema discutido é “Mídia pela Democracia: Jornalismo e Eleições em Tempos de Desinformação”

Por Teresa Mioli. Texto publicado originalmente no site do Knight Center for Journalism in the Americas

O dia 3 de maio é uma celebração global da liberdade de expressão e sua importância para a sociedade. Para o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa deste ano, jornalistas e defensores da causa vão se concentrar em mídia e eleições, bem como no papel da mídia nos processos de paz e reconciliação.

Este é o 26º ano em que o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é celebrado em todo o mundo desde que foi proclamado pela Assembléia Geral da ONU, em dezembro de 1993. O tema deste ano é “Mídia pela Democracia: Jornalismo e Eleições em Tempos de Desinformação”.

O tema reforça o artigo 19 – liberdade de opinião e expressão – e o artigo 21 – o direito de participar do governo e das eleições – da Declaração Universal dos Direitos Humanos, conforme destacado pela Unesco e pelo Departamento de Comunicação Global da ONU.

dia mundial da liberdade de imprensa
(Imagem: divulgação/Unesco)

“Uma imprensa livre é essencial para a paz, a justiça, o desenvolvimento sustentável e os direitos humanos”, afirmou António Guterres, secretário-geral da ONU, na sua mensagem para o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. “Nenhuma democracia está completa sem acesso a informações transparentes e confiáveis. É a pedra fundamental para construir de instituições justas e imparciais, responsabilizar as autoridades e desafiar o poder com a verdade”.

António Guterres salienta que isso é particularmente verdadeiro durante as eleições, quando os eleitores devem ser guiados pelos fatos.

“Uma imprensa livre é essencial para a paz, a justiça, o desenvolvimento sustentável e os direitos humanos”

“No entanto, embora a tecnologia tenha transformado as maneiras pelas quais recebemos e compartilhamos informações, às vezes é usada para enganar a opinião pública ou para alimentar a violência e o ódio”, disse. Ele também chamou a atenção para a diminuição do espaço cívico e o crescimento da retórica antimídia e da violência e do assédio a jornalistas.

Para comemorar o dia, eventos e discussões estão planejados em todo o mundo. Entre as atividades estão a celebração na sede da ONU em Nova York e eventos em Addis Ababa, na Etiópia, na sede da União Africana. O evento Dia Mundial da Liberdade de Imprensa na América Latina foi realizado em San Jose, Costa Rica. Os painéis abertos ao público abordaram a internet, acesso e transmissão de informações e liberdade de expressão.

O encontro em San Jose foi organizado por mais de uma entidade. Ele foi realizado pela Unesco, pelo Escritório do Relator Especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e pela Corte Interamericana de Direitos Humanos. Para encontrar outros eventos planejados na América Latina, consulte este mapa criado pela Unesco.

Outras organizações estão realizando campanhas nas redes sociais para celebrar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Por exemplo, a International Women’s Media Foundation (IWMF) está chamando a atenção para a sub-representação de mulheres jornalistas em redações. A fundação está pedindo aos usuários das redes para conferir quem escreve a notícia que eles acabaram de ler. A campanha usa a hashtag #CheckYourBylines. O Centro Knight para o Jornalismo nas Américas pediu a jornalistas da região que compartilhassem porque a liberdade de imprensa é importante para eles.

Leia mais – ‘Especiais’:

SOBRE O AUTOR

UT Knight Center

UT Knight Center

O Centro Knight para o Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas em Austin é um programa de extensão e capacitação profissional para jornalistas na América Latina e no Caribe. Organiza programas de treinamento que já beneficiaram milhares de jornalistas e professores de jornalismo nas Américas. O Centro Knight também ajudou a criar uma nova geração de organizações jornalísticas independentes. Essas organizações têm desenvolvido programas de treinamento auto-sustentáveis com o objetivo de aumentar os níveis éticos e profissionais do jornalismo, contribuindo assim ao aprimoramento da liberdade de imprensa e da democracia no hemisfério. O Knight Center publica um blog trilíngue em português, espanhol e inglês que cobre temas ligados ao jornalismo e à liberdade de imprensa na América Latina e no Caribe.

2 Comentários

COMENTAR