COMUNICAÇÃO

Fotojornalismo do Senado rende tema de mestrado

fotojornalismo do senado - fotografia - jonas pereira senado - mestrado
Serviço de fotografia da Casa tem atuação voltada à produção jornalística. As imagens compõem o acervo fotográfico de sites do Senado e também podem ser acessadas livremente em banco de imagens no Flickr . (Imagem: Jonas Pereira/Agência Senado)

A repercussão do resultado do fotojornalismo do Senado virou tese de mestrado de servidor da Casa na Universidade Federal de Goiás (UFG)

Responsável pela cobertura fotográfica de todas as atividades legislativas e institucionais do Senado, o Serviço de Fotografia (Sefoto) da Casa produziu em 2019 cerca de 548 mil fotos, mais que o dobro do ano anterior. Desta quantidade, 129.743 foram catalogadas no acervo histórico da Secretaria de Comunicação (Secom) e 51.015 foram inseridas no banco de imagens Flickr do Senado na internet.

Leia mais:

Os dados são do relatório de atividades fotográficas feito pelo setor. A repercussão desse resultado virou tese de mestrado de servidor da Casa na Universidade Federal de Goiás (UFG). O estudo mostrou que a reprodução do material alcança páginas de jornais e revistas e em portais da internet de todo o país e em várias partes do mundo.

De acordo com o chefe do Sefoto, Leonardo Alves Sá, o expressivo aumento da produção se deu em razão do acréscimo das atividades legislativas por ocasião da troca de legislatura. “Todas as vezes em que há mudanças na legislatura aumenta-se a quantidade de pautas legislativas. A renovação de mais de dois terços dos senadores em 2019 refletiu diretamente no nosso trabalho”.

O Sefoto tem atuação voltada à produção jornalística, cujos registros fotográficos ilustram as matérias publicadas no portal Senado Notícias. Essas imagens, por sua vez, compõem o acervo fotográfico do site da Casa e também podem ser acessadas livremente no banco de imagens Flickr do Senado na internet, que hoje conta com mais de 260 mil fotos.

Para cobrir todas as atividades da Casa, o Serviço de Fotografia realiza um trabalho quase que ininterrupto dividido em três turnos: manhã, tarde e noite. Esse trabalho é feito por uma equipe de oito repórteres fotográficos, seis editores, quatro operadores responsáveis pela legenda e catalogação de imagens para o acervo e uma pessoa na gestão de pedidos externos. “O nosso trabalho não para. Estamos aqui todos os dias acompanhando atividades parlamentares, sessões plenárias, comissões, atividades institucionais e acompanhando os veículos de comunicação da Casa”, explica Leonardo Alves Sá.

Ampla circulação

Dissertação de mestrado do servidor do Senado Tadeu Sposito, apresentado na Faculdade de Informação e Comunicação da UFG, teve como propósito entender o processo de circulação de imagem, ressignificação e recontextualização de 1.219 fotografias produzidas pela Casa em 2019 e usadas pelo site Wikipédia na internet. Os estudos revelaram que essas imagens têm ampla circulação e são utilizadas para ilustrar 2.112 verbetes em 90 idiomas, com alcance global até então não imaginado pela equipe de fotografia do Senado.

Para Tadeu Sposito, entender o processo de ressignificação dessas imagens e avaliar o alcance que elas obtiveram na página da enciclopédia livre virtual mais acessada do mundo foram um trabalho de extrema relevância para o Senado. Ele ressaltou que essas fotografias contribuem não apenas com o processo de construção da memória pública coletiva sobre o próprio Senado, o Parlamento e o país, mas o seu uso extrapola a função original para a qual elas foram capturadas.

Leonardo Alves Sá destacou que os números e descobertas reveladas no trabalho de Tadeu trazem subsídios científicos e comprovam a magnitude do trabalho realizado pela Casa. “Nós sabemos que o trabalho que fazemos extrapola o uso da nossa atividade original, que é a cobertura dos trabalhos institucionais e legislativos, mas o trabalho acadêmico revelou que ele vai além da Secom. Isso nos traz grande satisfação porque nos aproxima do cidadão muito mais do que poderíamos imaginar”, concluiu.