ESPECIAIS

Fotojornalistas premiados contam histórias pelo mundo

fotografos - fotojornalistas - jornalistas
(Imagem: reprodução)

As fotos de jornalistas de América Latina, Espanha e Portugal foram reconhecidas este ano durante o POY Latam Awards 2019, prêmio fundado em 2011 por Loup Langton e Pablo Corral Vega e realizado a cada dois ano

Por Teressa Mioli. Texto publicado originalmente no site do Knight Center for Journalism in the Americas

Eles retratam a migração da América Central para os Estados Unidos, dançarinos em um festival indígena no Vale do Sinakara, no Peru, o cotidiano dos Centennials na Colômbia, mulheres no sistema carcerário da Venezuela, ameaças a ruínas antigas à medida que a cidade de Lima se expande e envenenamento ambiental e seus efeitos sobre os chilenos.

As fotos de jornalistas de América Latina, Espanha e Portugal foram reconhecidas este ano durante o POY Latam Awards 2019, prêmio fundado em 2011 por Loup Langton e Pablo Corral Vega e realizado a cada dois anos.

“Essa foi nossa missão em 2011, realmente ajudar a dar a fotógrafos e contadores de histórias visuais latino-americanos a capacidade de contar suas próprias histórias sobre seus próprios países, seus próprios povos e suas próprias comunidades e colocar essas histórias em um cenário mundial”, disse Langton ao Centro Knight.

Langton, professor da Western Kentucky University, disse que há mais interesse na fotografia latino-americana em todo o mundo hoje, bem como uma forte comunidade de contadores de histórias visuais na região que competem entre si e se apoiam mutuamente.

Na edição deste ano, o fotógrafo Felipe Dana (Brasil), da Associated Press, ganhou o prêmio de Melhor Fotógrafo Ibero-Americano do Ano.

As fotos no portfólio vencedor de Dana levam o espectador do Oriente Médio para a Europa Oriental, América do Sul e África. Elas documentam protestos na Faixa de Gaza, um acampamento de jovens nacionalistas ucranianos, a luta contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria, a pobreza nas favelas do Rio de Janeiro e as famílias de migrantes senegaleses desaparecidos que podem ter se perdido no mar.

Os selecionados

A seleção dos vencedores aconteceu entre 6 e 10 de maio em Quito, Equador, e foi transmitida ao vivo no Facebook. Cerca de 28 mil imagens de 1.278 fotógrafos que se inscreveram em 19 categorias foram consideradas, segundo POY Latam.

O júri foi formado por Sarah Leen, fotógrafa norte-americana e diretora de fotografia da National Geographic; Maya Goded, fotógrafa e documentarista mexicana; Francois Coco Laso, fotógrafo equatoriano; Adriana Zehbrauskas, fotógrafa brasileira; e o fotógrafo peruano Musuk Nolte. O cineasta equatoriano Sebastián Cordero, a fotojornalista e documentarista norte-americana Janet Jarman e a fotógrafa mexicana Yolanda Escobar participaram das categorias multimídia.

Duas novas categorias foram incluídas este ano: Movimentos Migratórios e A Força das Mulheres. Goded comentou sobre o pequeno número de trabalhos apresentados nessas categorias e convidou mais pessoas a participar, de acordo com um comunicado da POY Latam.

“Faltou mais participação na categoria de mulheres fotografando mulheres, convido que imaginemos mais histórias e como contá-las por meio da fotografia para tornar visível o novo momento que as mulheres estão vivendo na América Latina”, disse ela.

Os prêmios POY Latam foram apoiados pela MuNA Equador Uribe e Schwarzkopf, coletivo fotográfico SolipsisArt, Associação Equatoriana de Fotógrafos, Paradocs Foto, Fotógrafa Latinoamericanas, 3 Láser e Telconet Latam.

Todos os vencedores do primeiro lugar do Prêmio POY Latam de 2019 estão listados abaixo com links para seu trabalho:

Vida cotidiana (individual): Santi Palacios (Espanha)

Vida cotidiana (série): Jorge Panchoaga (Colômbia)

Notícias (individual): Guillermo Arias (México)

Notícias (série): Felipe Dana (Brasil)

Retrato (individual): Gisela Volá (Argentina)

Retrato (série): Rodrigo Abd (Argentina)

Esporte (individual): Diego Pallero (Equador)

Esporte (série): Eduardo Leal (Portugal)

Jovens se expressando (série): Charlie Cordero (Colômbia)

Movimentos migratórios (série): Jeoffrey Guillemard (França)

Força das mulheres (série): Ana María Arévalo Gosen (Venezuela)

Prêmio Uribe e Schwarzkopf Award do Futuro das Cidades: Rodrigo Abd (Argentina)

Prêmio Nosso Olhar: Diego Moreno (México)

Prêmio Carolina Hidalgo Vivar de Meio Ambiente (série): Pablo Sanhueza (Chile)

Fotógrafo Ibero-Americano do Ano: Felipe Dana (Brasil)

Curta multimídia: Santiago Barreiro Ravera (Uruguai)

Longa multimídia: Séverine Sajous & Patricia Sánchez Mora

Multimídia Interativo: Lalo de Almeida (Brasil)

Livro: La Batea, Elizabeth Ferry e Stephen Ferry (EUA)

Leia mais – ‘Especiais’:

SOBRE O AUTOR

avatar

UT Knight Center

O Centro Knight para o Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas em Austin é um programa de extensão e capacitação profissional para jornalistas na América Latina e no Caribe. Organiza programas de treinamento que já beneficiaram milhares de jornalistas e professores de jornalismo nas Américas. O Centro Knight também ajudou a criar uma nova geração de organizações jornalísticas independentes. Essas organizações têm desenvolvido programas de treinamento auto-sustentáveis com o objetivo de aumentar os níveis éticos e profissionais do jornalismo, contribuindo assim ao aprimoramento da liberdade de imprensa e da democracia no hemisfério. O Knight Center publica um blog trilíngue em português, espanhol e inglês que cobre temas ligados ao jornalismo e à liberdade de imprensa na América Latina e no Caribe.

COMENTAR

COMENTAR