COMUNICAÇÃO

Galvão Bueno passa mal e é internado em Lima

galvão bueno - libertadores - cateterismo - Globo
O locutor esportivo Galvão Bueno. (Imagem: reprodução/TV Globo)

Locutor esportivo estava em Lima na preparação para narrar Flamengo X River Plate pela final da Taça Libertadores da América

Após se sentir mal, Galvão Bueno passou por cateterismo para desobstrução de artéria. No jogo, será substituído por Luís Roberto na TV Globo

Susto na crônica esportiva brasileira às vésperas da final da Taça Libertadores da América deste ano. Programado para a tarde de sábado, 23, o confronto Flamengo X River Plate não contará com narração de Galvão Bueno. Aos 69 anos, o locutor esportivo já estava com a equipe da TV Globo em Lima, capital do Peru e palco da decisão, mas se sentiu mal. Levado ao hospital, passou por processo de cateterismo, que constatou a obstrução de uma de suas artérias.

Leia mais:

Com o estado clínico, Galvão Bueno segue internado no Anglo-Americana. Acompanhado da mulher, Desiree, ele chegou ao hospital na manhã desta quinta-feira, 21, conforme informou o Grupo Globo em nota oficial. A expectativa é que a equipe responsável pelo atendimento divulgue boletim médico ao decorrer das próximas horas. A situação, contudo, tirou o narrador da cobertura da final da Libertadores. A direção da emissora divulgou que o “Mestre do Jornalismo” Luís Roberto será o responsável por levar ao público da TV Globo e do Globoesporte.com a emoção do jogo.

Galvão Bueno chegou a Lima na tarde de quarta-feira, 20. Flamenguista, ele estava escalado para acompanhar o jogo que pode resultar no segundo título de seu time do coração na Libertadores. Em 1981, ano da única conquista (por ora) da equipe carioca na competição continental, coube ao próprio Galvão Bueno narrar a decisão do mundial. Na ocasião — com gols de Nunes (2) e Adílio –, o rubro-negro superou o Liverpool por 3 a 0. No Brasil, a partida foi transmitida pela TV Globo.

Apoio nas redes

O problema cardiovascular de Galvão Bueno causou, de imediato, comoção nas redes sociais. No Twitter, o nome do locutor esportivo aparece na lista de termos mais comentados no país. No geral, mensagens em prol de sua franca recuperação — além de alguns memes com a situação. Pelo Instagram, alguns jornalistas, como Mauro Beting e Gustavo Villani (que o chama de “padrinho”), fizeram questão de mostrar o quanto admiram o colega de crônica esportiva e torcem por sua melhora.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Galvão Bueno tinha acabado de trocar a Bandeirantes pela Globo em 1981. Luciano do Valle narrou o 2 a 1 no Maracanã do Flamengo na final da Libertadores contra o Cobreloa. No rodízio foi Galvão para o Chile para a derrota por 1 a 0. Na melhor de três, Luciano narrou Zico fazer os dois gols do campeão de 1981. No Japão, foi Galvão narrar o mágico 3 a 0. No Peru, será agora o grande Luís Roberto quem trará a emoção global da final única em todos os sentidos de Lima. Haja coração, Galvão! E você tem. Não vai dar para transmitir de novo o jogo espetacular. Mas a história pode se repetir como festa. Daqui a pouco você volta em definitivo. #forçagalvão #SaiQueÉSuaGalvão

Uma publicação compartilhada por Mauro Beting (@maurobetingoficial) em

Confira, abaixo, a nota do Grupo Globo:

Nosso companheiro Galvão Bueno teve um mal-estar hoje de manhã em Lima, onde se encontra para a narração da final da Libertadores. Ele foi levado para exames na clínica Anglo-Americana, no bairro de Miraflores, acompanhado por sua mulher Desiree Galvão Bueno. Foi atendido prontamente e está sendo submetido a um cateterismo para desobstrução de uma artéria coronariana. Todos nós desejamos ao querido Galvão uma rápida recuperação. O hospital divulgará ao término do procedimento um boletim médico. A narração da final da Libertadores será feita pelo companheiro Luis Roberto.

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR