COMUNICAÇÃO

“Muito triste a acusação de preconceito”, diz Rodrigo Bocardi

rodrigo bocardi - leonel
Rodrigo Bocardi: apresentador pediu desculpas por causa de comentário. (Imagem: reprodução/Globo)

Jornalista da Rede Globo se posicionou após ser criticado no Twitter. Usuários da rede social consideram racista comentário feito por Rodrigo Bocardi em relação a um atleta chamado Leonel

Horas depois de ver o seu nome se tornar o assunto mais comentado do Twitter no Brasil devido a um comentário considerado racista por muitos internautas, Rodrigo Bocardi se posicionou. O âncora do ‘Bom Dia, São Paulo’ usou a própria rede social para se defender. Rechaçou acusações em relação a preconceito e, mesmo assim, pediu desculpas pela situação.

Leia mais:

“Muito triste a acusação de preconceito. Eu pratico tênis no Clube Pinheiros. Os jogadores de tênis não usam uniformes, mas os pegadores/rebatedores, sim: uma camiseta igual a do Leonel, com quem tive o prazer de conversar hoje. Ao vê-lo com a camiseta que vejo sempre todos os dias, pegadores/rebatedores de todas as cores de pele, pensei que fosse um deles”, postou Rodrigo Bocardi em seu perfil no Twitter.

Citado pelo apresentador da Rede Globo, Leonel foi personagem central da polêmica do dia. Ao ser abordado pelo repórter Tiago Scheuer em estação da Linha 3 do metrô de São Paulo, Leonel afirmou que estava indo da Zona Leste para o Esporte Clube Pinheiros, na Zona Oeste. Eis então que o jornalista perguntou se ele iria “pegar bolinha de tênis”, referência ao gandula da modalidade praticada pelo comunicador. Como resposta, ouviu que o entrevistado é atleta de polo aquático.

Pelo fato de Leonel ser negro e de Rodrigo Bocardi já imaginar, de antemão, que deveria se tratar de um gandula, internautas classificaram o comentário como racista. O âncora de TV, que é sócio do Esporte Clube Pinheiros, se defendeu. Falou que fez confusão devido ao uso de uniforme por parte do jogador de polo aquático. “Não frequento outras áreas do clube onde outros esportes são praticados. E não sabia que a camiseta era parecida. Se soubesse, teria perguntado em qual área ou esporte”, afirmou.

Pedido de desculpas

Ainda pelo Twitter, Rodrigo Bocardi destacou ter tido “origem humilde”. Falou que, como contínuo, andava “mais de duas horas de ônibus todos os dias”. Com isso, reforçou que não é nem nunca foi racista. Mesmo assim, o funcionário da Rede Globo direcionou pedido de desculpas a quem se sentiu ofendido com a situação protagonizada durante edição ao vivo do ‘Bom Dia, São Paulo’.

“Se ofendi pessoas que não conhecem esses meus argumentos e a minha história, peço desculpas”, afirmou o jornalista por meio da rede social. “Não o chamei de pegador pela cor da pele ou pela presença num trem. Chamei-o por ver que vestia o uniforme que eu sempre vejo os pegadores usarem. Peço desculpas a todos e em especial ao Lionel”, complementou Rodrigo Bocardi.

Explicações

Além de se desculpar perante o público internauta, Rodrigo Bocardi usou as plataformas digitais para explicar duas situações. A primeira em relação a foto que aparece em seu perfil no Twitter. Ele avisou que a imagem — em que aparece rodeado de crianças negras — está no ar desde 2003, época em que morava em Angola e ativou a conta no microblog. Pelo Instagram, relembrou um vídeo do ‘Bom Dia, São Paulo’ em que ele mesmo aparece junto de rebatedores do Esporte Clube Pinheiros.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Rodrigo Bocardi (@rodrigobocardi) em

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR