OPINIÃO

5 dicas de como posicionar sua marca no LinkedIn

Artigo de Vanessa Tófano sobre o LinkedIn
(Imagem: reprodução)

“Estudos da rede concluíram que hoje as pessoas usam o LinkedIn para consumirem conteúdo de qualidade”. Afirma a articulista Vanessa Tófano

Leia, a seguir, mais um artigo da jornalista Vanessa Tófano para o Portal Comunique-se. Em pauta, dicas de como usar o LinkedIn

Essa é uma questão recorrente nas estratégias de comunicação porque o LinkedIn é uma rede social com grande potencial de engajamento profissional, porém ainda pouco explorada pelas marcas. Muitas empresas não sabem bem como fazer e nem o que deve ser feito.

Até pouco tempo, quando pensávamos em LinkedIn a primeira intenção era um up grade na carreira. A rede era utilizada apenas como um canal para encontrar uma nova oportunidade de emprego. Atualmente, esse objetivo se transformou e estamos falando da plataforma de maior absorção de conteúdo do país.

Leia mais:

Exatamente! Estudos da rede concluíram que hoje as pessoas usam o LinkedIn para consumirem conteúdo de qualidade, seja por meio dos artigos desenvolvidos por grande parte dos profissionais que transitam na plataforma, pelas opiniões das “Top Voices” / “Influencers” ou ainda pelas notícias de mercado que são cada vez mais compartilhadas e destacadas.

“Quando pensávamos em LinkedIn a primeira intenção era um up grade na carreira. A rede era utilizada apenas como um canal para encontrar uma nova oportunidade de emprego”. (Vanessa Tófano)

Dentro desse universo estratégico se faz fundamental para as organizações definirem um planejamento de comunicação focado nessa rede. Refiro-me às empresas que, especificamente, buscam qualificação institucional para agregarem valor, criarem o approach de “marca empregadora”, além de ampliarem as relações e as oportunidades de novos negócios. Algumas percepções importantes nessa construção:

  1. Mantenha a objetividade e o direcionamento. Esses são dois fatores de relevância para gerar alta performance na plataforma. No LinkedIn, o importante não é o volume de conexões, mas o alinhamento de propósito entre elas já que tratamos de um meio profissional. Faça sempre conexões estratégicas e aceite aquelas que realmente podem somar e compartilhar.
  2. Reflita sobre a possibilidade de conta com uma “Company Page”. Esse é um perfil especialmente oferecido pelo LinkedIn para as empresas. Trata-se de um formato com funções e visualização direcionada às marcas. É possível definir estratégias para públicos específicos, entregar o conteúdo de forma mais organizada, além de contar com um perfil de relacionamento corporativo, entre outras funções. No entanto, é uma opção mais direcionada às grandes empresas, pois discorre de um bom investimento. De qualquer maneira, se sua empresa for pequena ou média, se for uma startup ou ainda se você é autônomo, é preciso ter uma página com uma atmosfera profissional e abrangente.
  3. Crie conteúdo genuíno e permanente. Aqui mora o grande viés estratégico da plataforma. O mais interessante, e que sempre trás um engajamento qualificado, é a criação de artigos direcionados às temáticas do negócio. E artigos devidamente identificados pelos executivos “articulistas”. Publique com imagens características, faça conexões estratégicas e não se esqueça de utilizar as palavras-chaves determinadas no planejamento de comunicação.
  4. Entregue conteúdo de forma perene. É muito importante criar uma dinâmica temporal para a entrega na plataforma. Dessa forma, será possível que as conexões aguardem pelo material. E aqui existe uma particularidade: no LinkedIn mais importa a qualificação da entrega do que a quantificação. Isso significa que entregar menos, de forma organizada e perene, com uma dinâmica realmente pertinente, é mais valioso do que postar todos os dias e todas as ações. Um detalhe: vale postar presença em eventos? Sim!!!! Desde que tenham a ver com o propósito de atuação na plataforma.
  5. Interaja com seus contatos. Parece tão óbvio, mas muitas empresas se esquecem do “bê-á-bá” de estar em uma rede social. É preciso dialogar com suas conexões, não somente respondendo as questões que surgirem na sua página, mas indo até elas. Compartilhando temáticas interessantes, comentando e respondendo também às publicações feitas pelas conexões estabelecidas. É assim que se constitui um diálogo eficiente, é assim também que uma marca se faz presente em um mercado. Relacionamento, sempre!

Por fim, chamo a atenção para uma leitura diferenciada do algoritmo do LinkedIn. Muitos “gurus” do marketing digital se apropriam de fórmulas mágicas para criarem alto desempenho no Instagram, Facebook, Twitter, YouTube e até no Tik Tok. Mas, esqueça essas dicas no LinkedIn porque a entrega do conteúdo na plataforma está totalmente conectada com a qualidade e o engajamento. Não existe “receita de bolo” na plataforma. Por isso, vale investir em temáticas convergentes ao negócio com propriedade da publicação.

“No LinkedIn, o importante não é o volume de conexões, mas o alinhamento de propósito entre elas”. (Vanessa Tófano)

SOBRE O AUTOR

avatar

Vanessa Tófano

CEO da RelatioNOW e autoridade em relações públicas. Está à frente de estudos de reposicionamento de marcas e direciona as empresas por meio da inovação, trabalhando o propósito e transformando a visibilidade e as relações institucionais. Além de formação em universidades com índices de excelência, possui especialização em marketing e branding pela Brand Learning UK e pós-graduação em gestão estratégica em comunicação Organizacional pela USP (Universidade de São Paulo).

COMENTAR

COMENTAR