CARREIRA

O que Universal TV e Syfy Brasil estão procurando?

universal tv
(Imagem: divulgação)

Paulo Barata foi entrevistado pela Imprensa Mahon. Ele conta o que os canais Universal TV, Syfy Brasil e Studio Universal estão buscando de conteúdo audiovisual

O entrevistado desta semana da Imprensa Mahon foi Paulo Barata, responsável pela operação dos canais da NBC Universal no Brasil: Universal TV, Syfy Brasil e Studio Universal. Para os produtores que desejam negociar com eles, Barata afirmou o que espera de conteúdo audiovisual.

“Temos três linhas de produção. Com verba própria, como produzimos hoje o CineLab, exibido no SyFy. Licenciamento de séries brasileiras que já estão prontas. Nós já exibimos algumas séries no Universal TV e no Studio Universal. E nós temos uma linha de séries ou projetos que chamamos de super premiuns. Séries nas quais dedicamos o maior recurso de volumes e o maior esforço de desenvolvimento. Essas séries são financiadas com recursos públicos, pelo Artigo 3A, e são licenciadas para exibição no Universal TV e no Studio Universal”, explica o entrevistado.

mailing-imprensa-cse
Anúncio

“Nós nos envolvemos em tudo, participamos do desenvolvimento, elaboração de roteiros, definição da ficha técnica, formação de elenco. Essas séries recebem o mesmo grau de prioridade que dedicamos às séries internacionais: horário supernobre, carga promocional (a campanha começa dois meses antes), e promoção pesada nas redes sociais. E é uma alegria poder fazer isso”, conta Paulo Barata.

Sem ‘House’

Questionado por Krishna Mahon sobre os conteúdos que eles estão procurando e o que eles não querem mais receber, Barata respondeu. “Não queremos o ‘House’ brasileiro, nem o ‘SVU’ brasileiro, nem o ‘Law & Order’ brasileiro. Não é isso. Queremos duas características importantes que estão na programação do Universal TV: uma é ter estrutura procedural. Porque na relação com nossos espectadores o procedural é uma tradição. A segunda é temática, não chega a ser obrigatório, mas é um desejo que os temas sejam crime e investigação”, contou.

Sobre dar preferência à séries do que à filmes, Barata explicou: “Entendemos que com o mesmo recurso que gastamos para fazer oito ou dez episódios de uma série, nós fazemos apenas um longa”.

Envie projetos

Para enviar seus projetos, usa a plataforma da Globosat: produtoras.globosat.com.br.

Assista ao vídeo:

SOBRE O AUTOR

Krishna Mahon

Krishna Mahon

Graduada em jornalismo e cinema, com curso de extensão em ficção científica pela Universidade de Michigan (EUA) e bagagem considerável pelo meio televisivo - meio em que atua há mais de 20 anos. Já passou por Rede Minas, Discovery, Mixer Films. De 2010 a maio de 2018, fez parte da equipe da A&E Television, onde já foi produtora executiva e respondeu como diretora de conteúdo original dos quatro canais da empresa: History, A&E, Lifetime e H2. Agora, traz para o Portal Comunique-se a "Imprensa Mahon", projeto que está no ar no YouTube desde 2016.