COMUNICAÇÃO

PM da Bahia ameaça jornalistas com tiros

PM ameaça jornalistas na Bahia
Foto: Reprodução/ Instagram Jornal Correio

Com o objetivo de dispersar a imprensa, um PM deu dois disparos de fuzil

Jornalistas foram ameaçados à mão armada por policiais militares, na Bahia. As equipes de reportagem faziam a cobertura do caso de um membro da PM que apresentou surtos psicóticos e disparou tiros para cima na tarde deste domingo, 28, em Salvador. Para dispersar a imprensa, um soldado disparou tiros de fuzil.

De acordo com matéria publicada pelo jornal Correio, da Bahia, as ameaças foram feitas por um profissional que tentava conter o atirador. Além de dar dois tiros ao alto, os policiais também teriam empurrado os jornalistas, de acordo com relatos feitos ao veículo.

O fotojornalista do jornal, Arisson Marinho, estava no local e revelou que a aproximação aos profissionais ocorreu após uma correria das equipes de reportagem no local, que estavam assustadas com os tiros entre os policiais.

Leia mais:

“Após todo mundo correr, nessa agonia, abriu um espaço vazio e a imprensa começou a ocupar esse espaço. Foi quando um policial começou a gritar para a gente voltar. Um colega perguntou se ele ia agredir a imprensa, e o policial respondeu que ia mesmo. Então começaram os empurrões e, em seguida, dois tiros para o alto”, relatou ao Correio.

Entidades de jornalismo se manifestaram sobre o caso, condenando o comportamento dos PMs. No Instagram, a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) compartilhou o vídeo do momento e o manifesto do Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia (Sinjorba), que ressaltou que a agressão foi desnecessária.

“Assim como a equipe de policiais do BOPE fazia o seu trabalho, o mesmo faziam os jornalistas na área de operação, registrando a reação policial, porque essa é a tarefa do bom jornalismo: informar à população, noticiar, reportar os fatos”, pontuou o texto.

SOBRE O AUTOR

Julia Renó

Jornalista, 23 anos. Natural de São José dos Campos (SP), onde vive atualmente, após temporadas em Campo Grande (MS). Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (MS) e voluntária da ONG Fraternidade sem Fronteiras, integra o time de jornalistas do Grupo Comunique-se desde julho de 2020.

COMENTAR

COMENTAR