ESPECIAIS

Record no Pan: cobertura multimídia e mais de mil horas de transmissão

record - multimídia - jogos pan-americanos - medalhas
(Imagem: divulgação)

Grupo Record usará televisão aberta, televisão fechada, portal de notícias e serviço de streaming para acompanhar o evento esportivo. Jogos Pan-Americanos de Lima terão início em 24 de julho

Record TV, Record News, R7.com e PlayPlus. O Grupo Record prepara cobertura multimídia nos Jogos Pan-Americanos deste ano. Para isso, fará uso de seus canais e projetos na televisão aberta, tevê por assinatura, portal de notícias e serviço de streaming. Ao todo, a empresa promete exibir mais de mil horas de transmissão das mais variadas modalidades do evento esportiva que será realizado em Lima, capital do Peru, a partir de quarta-feira, 24.

A estratégia de cobertura dos Jogos Pan-Americanos também passam pela logística envolvendo os jornalistas da casa. Parte será enviada para a cidade-sede das competições, enquanto outra turma acompanha os detalhes na redação do grupo de comunicação na Barra Funda, bairro da zona oeste de São Paulo. Ao todo, a empresa destaca que contará com 350 profissionais dedicados à transmissão especial. Desses, 50 já estão na cidade peruana, casos dos repórteres Rodrigo Vianna e Bruno Piccinato e as apresentadoras Adriana Araújo e Carla Cecato.

Para reforçar a cobertura, o Grupo Record contratou especialmente para o evento ex-atletas para os postos de comentaristas. Na turma estão Fabíola Molina (natação), Luisa Parente (ginástica) e Virna Dias (vôlei). Os reforços temporários não param por aí. Jornalistas também chegam à empresa especialmente para trabalhar nos Jogos Pan-Americanos 2019. Entre eles estão Marcelo Gomes (narrador), Cadu Cortez (narrador), Weber Lima (apresentador) e Mayra Siqueira (comentarista).

Divisão multimídia

Na televisão aberta, o grupo promete 50 horas de transmissão, focando nas modalidades consideradas principais e onde brasileiros tiverem chances de medalhas. Vice-presidente de jornalismo da Record TV, Antonio Guerreiro destaca a exclusividade dos Jogos Pan-Americanos para a televisão aberta do Brasil. “Isso representa uma enorme responsabilidade, a missão de levar ao público o melhor do evento, as melhores imagens, os grandes lances, as histórias por trás de cada acontecimento. Por isso preparamos para o público uma cobertura especial, multiplataforma, planejada ao longo de quase três anos”, comenta o executivo.

A cobertura multimídia seguirá com outras 50 horas de transmissão na Record News, canal que figura na televisão aberta e em pacotes de TV por assinatura. A maior parte a cobertura dos Jogos Pan-Americanos, contudo, estarão fora da tevê. O grupo dará vazão ao portal R7.com e ao PlayPlus, serviço de streaming desenvolvido pela companhia, cuja a assinatura mensal custa R$ 12,90. Na dobradinha com os dos veículos de mídia, são prometidas mais de 900 horas de transmissão. Durante as competições, oito sinais ao vivo. O trabalho digital ainda contará com materiais no YouTube e demais redes sociais da marca R7 — com direito à divulgação da hashtag #PanNaRecordTV.

Leia também:

“O Pan digital é um grande evento para todo o time da área do R7 Multiplataforma. Nosso time está envolvido para levar conteúdo para todos os nossos espectadores em todas as nossas plataformas, com uma cobertura inovadora, interativa e engajada. Os atletas que nos representarão nos Jogos Pan-Americanos merecem nossa torcida, são modalidades que nem sempre têm protagonismo. Temos 8 sinais simultâneos e mais de 900 horas de produção de conteúdo. Somamos à nossa equipe 9 comentaristas e 8 colunistas que trarão um olhar de curador para o conteúdo esportivo. Para atender, abastecer e apoiar toda esta demanda, geramos cerca de 20 vagas temporárias”, sintetiza Claudia Caliente, diretora do R7 Multiplataforma.

record - multimídia - jogos pan-americanos - equipe
Multimídia. Parte da equipe do grupo Record que cobrirá os Jogos Pan-Americanos (Imagem: reprodução/Record)

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR