OPINIÃO

Um ano da notícia que eu não gostaria de ter dado…

vítimas- chapecoense
(Imagem: Reprodução/Facebook)

Absolutamente chocado, desnorteado, sensação de nocaute. A notícia da queda do avião da Chapecoense surgiu diante dos meus olhos às 3h40 da manhã, momento em que nenhum veículo de imprensa brasileiro havia publicado a informação. Parecia mais um boato disseminado nas redes sociais.

Perguntei aos colegas Alexandre Ferreira e Marcos Antonio de Jesus se tinham visto algo, e também disseram não saber de nada. Por desencargo de consciência, resolvi abrir o site da Rádio Caracol, a maior cadeia de comunicação colombiana, que já trazia a notícia em destaque com letras garrafais. Senti um aperto no peito.

Eu e Marcos Antônio fizemos, de forma improvisada, uma edição extraordinária de O Globo no Ar. Com Alexandre, no ‘Acorda Rio’, monitoramos as agências de notícias e os sites colombianos, fizemos escuta das rádios locais. Uma angústia sem fim. Mas o rádio na madrugada cumpriu seu papel. E a cobertura será longa.

Além do time da Chapecoense, orgulho brasileiro, alguns dos ocupantes do avião eram colegas de imprensa. Alguns inclusive próximos, ex-companheiros de trabalho. Que as famílias das vítimas e os sobreviventes estejam amparados e recebam todo o nosso carinho neste dia tão doloroso.

*Maurício Bastos. Apresentador da Rádio Globo.

SOBRE O AUTOR

Leitor-Articulista

Leitor-Articulista

Espaço aberto para a veiculação de artigos produzidos pelos usuários do Portal Comunique-se. Para ter seu conteúdo avaliado pela redação, com possibilidade de ser publicado na seção 'Opinião', envie e-mail para jornalismo@comunique-se.com.br, com “Leitor-articulista” no assunto.

Notícias Corporativas

  • SUATV - TV Corporativa, Mural Digital e Digital Signage é SuaTV
  • RIWEB
  • Dino
/* ]]> */

Prêmio Comunique-se 2018