COMUNICAÇÃO

Com estúdio alagado, âncora comanda telejornal de galochas

aldo quiroga usa galochas para apresentar telejornal da TV Cultura
Aldo Quiroga chegou de trator e de galochas à TV Cultura. (Imagem: reprodução)

Sede da TV Cultura foi atingida por enchente que toma conta de parte da cidade de São Paulo

Estúdios do canal foram atingidos pelo alagamento. Aldo Quiroga usou galochas durante noticiário

Localizada próxima à Marginal Tietê, a sede da Fundação Padre Anchieta foi prejudicada pelo alagamento que atinge parte da cidade de São Paulo. Os estúdios da TV Cultura, que pertence à fundação, ficaram alagados. Diante da situação, o jornalista Aldo Quiroga teve de usar galochas para comandar a edição do ‘Jornal da Cultura – 1ª Edição’.

Leia mais:

Pelo Twitter, o departamento de jornalismo da emissora avisou que seus estúdios estavam entre os “pontos de alagamento”. A situação fez com que Aldo Quiroga, mesmo de galochas, apresentasse o telejornal em outras dependências. Internautas perceberam que o noticiário foi excepcionalmente produzido a partir do cenário destinado originalmente ao ‘Metrópolis’.

Apresentadora do ‘Roda Viva’, Vera Magalhães confirmou que o telejornal foi mesmo gerado do estúdio do ‘Metrópolis’. E avisou que, além das galochas, Aldo Quiroga teve de se virar para chegar à redação do veículo de comunicação. “Chegou de trator à emissora”, informou a jornalista. Os alagamentos provocados pela chuva acabaram, ainda, por deixar a Fundação Padre Anchieta “ilhada”.

Muita água e pouca gente

Da mesma forma que ocorreu com a Band, nem todos os funcionários da TV Cultura conseguiram chegar ao trabalho nesta segunda-feira, 11. O site Overtube destaca um tuíte que mostra que quem esteve na redação teve de se desdobrar. “Com as poucas pessoas que chegaram, cada um abraçou uma função que não é muito íntimo e estamos nos esforçando pra fazer esse jornal”. Por outro lado, há fotos mostrando os estragos nos estúdios do canal.

 

 

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR