COMUNICAÇÃO

Com demissões e mudanças na programação, como ficará a Fox Sports?

Fox Sports

Aproximadamente 150 jornalistas foram demitidos da Fox Sports. A notícia impactou tanto os profissionais ligados à comunicação quanto o público que assiste ao canal e, esta semana, marcou um grande passo para a fusão entre Fox Sports e a ESPN, que ocorre desde dezembro. Mas você sabe como ficam esses canais?

Para a Fox Sports, o tempo de vida está contado e encerrará em pouco menos de um ano. Enquanto ele ainda sobrevive, a programação do canal será ocupada pela transmissão de eventos e os programas de debates, comentários e notícias estarão apenas na ESPN. A programação já foi alterada e, nas redes sociais, o público lamentou o fim da programação.

A Fox Sports continuará no ar seguindo esse novo modelo, pelo menos até o dia 31 de dezembro de 2021. O combinado da Disney com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) prevê que a devolução da marca deverá ocorrer em janeiro de 2022.

Outra mudança para a equipe da Fox será na estrutura e nos equipamentos. A partir do próximo ano, toda a operação do braço esportivo dos canais da Disney será em São Paulo. O prédio e os equipamentos utilizados atualmente pela Fox, no Rio de Janeiro, ainda não tem um futuro definido, como apontou matéria publicada no Notícias da TV.

Leia mais:

Novo quadro do “Visão CNN” estreia com Caio Coppolla e Rita Lisauskas
A conexão com os eleitos – Por Alessandra Fedeski

Demissões

Junto ao anúncio de fusão da Fox Sports com a ESPN, as adequações nas equipes dos dois canais também tiveram início. Os profissionais que ainda não tinham contrato renovado com o canal foram demitidos ou receberam propostas para que continuassem na emissora. Desde dezembro, mais de 150 profissionais deixaram as suas equipes.

Entre eles, alguns nomes conhecidos e queridos pelo público tiveram mais destaque, como Flávio Gomes, Mauro Cezar Pereira, Livia Nepomuceno e Benjamin Back. Na época de sua saída, Mauro publicou em suas redes sociais que, apesar de ter recebido proposta para continuar, rejeitou o novo contrato devido a uma cláusula de exclusividade. O motivo foi o mesmo alegado por Benjamin Back.

De acordo com a coluna do jornalista Flávio Ricco, o canal iniciou o ano com demissões em massa. Na segunda-feira (11), 71 profissionais tiveram os contratos encerrados, na terça-feira (12), o número foi de 50 e no dia seguinte, quarta-feira (13), eram previstas outras 30.